8 competências digitais que todas as crianças precisam

8 competências digitais que todas as crianças precisam

Janeiro 06, 2017

Na geração anterior, toda a tecnologia e media digital  eram competências só para um nicho específico de mercado. Hoje, são uma competência fundamental para se ser bem sucedido na maioria das profissões.

As competências digitais passaram a ser parte essencial de um quadro de educação abrangente. Sem um programa nacional de Educação Digital, o acesso à tecnologia será distribuído de forma desigual, exacerbando a desigualdade e dificultando a mobilidade socio-económica.

1. Qual é então o grande desafio para educadores e professores?

O grande desafio que se coloca para esta geração vai para além de considerar  as tecnologias como uma mera ferramenta ou como uma plataforma para a educação. Em vez disso, é necessário começar a pensar como desenvolver a capacidade e confiança dos nossos alunos para se destacarem tanto online como offline, neste novo mundo onde os media digital são omnipresentes.

Tal como usamos o QI para medir o coeficiente de inteligência ou o EQ para medir a inteligência emocional de um ser humano, também temos hoje em dia o DQ para medir o coeficiente de inteligência digital.

A grande noticia é que a inteligência digital é uma inteligência altamente adaptável, podendo ser dividida em 3 níveis:

Nivel 1: Cidadania digital

Traduz-se na capacidade de usar a tecnologia digital de forma segura, responsável e eficaz.

Nivel 2: Criatividade digital

A capacidade de se tornar parte do ecossistema digital co-criando novos conteúdos e transformando ideias em realidade, através do uso de ferramentas digitais.

Nivel 3: Empreendedorismo Digital

A capacidade de utilizar meios e tecnologias digitais para resolver desafios globais  ou criar novas oportunidades

2.Porque continuamos a negligenciar a cidadania digital?

Dos 3 níveis apresentados, a criatividade digital é a menos negligenciada visto que, à medida que as escolas tendem a proporcionar às suas crianças alguma exposição à literacia mediática, codificação e robótica, todas elas estão diretamente relacionadas com a futura empregabilidade e criação de emprego. Da mesma forma, há grandes iniciativas de educação – desde os Estados Unidos da América com o code.org até I amTheCode.org em África – que promovem o acesso de todos à educação da programação. Ainda está muito por fazer, mas existem áreas de excelência.

Quanto ao empreendedorismo digital, também tem sido ativamente encorajado noutros países, especialmente no Ensino Superior. Muitas universidades adotaram e desenvolveram novos cursos e iniciativas tais como Hackathon ou o Techno-Preneurship do empreendedorismo para incentivar uma cultura de inovação.

Começamos também a tomar conhecimento de movimentos globais que alimentam o empreendedorismo social entre as crianças através de programas de tutorial- Mara foundation – e programas escolares como  o Ashoka Changemaker School.

Mas a cidadania digital tem sido muitas vezes ignorada por educadores e líderes, apesar de ser fundamental para a capacidade de uma pessoa usar a tecnologia e viver no mundo digital, necessidade essa que surge desde uma tenra idade. Uma criança deve começar a aprender cidadania digital o mais cedo possível, idealmente a partir do momento em que começa a usar ativamente jogos, media digital ou outros.

3.Quais serão então as competências digitais que as nossas crianças devem aprender?   

Os nossos educadores tendem a pensar que as crianças vão desenvolver essas competências por si só ou que essas competências devem ser desenvolvidas em casa.

A questão prende-se com o facto de, devido à lacuna da geração digital, ser a “geração Z” a primeira a verdadeiramente crescer na era dos smartphones e media social, nem pais nem professores nem líderes sabem como equipar adequadamente as crianças com essas competências.

As crianças são muitas vezes expostas a riscos cibernéticos, como o vício em tecnologias, cyberbullying e grooming. Estas crianças tendem a absorver comportamentos tóxicos que afectam a sua capacidade de interagir com os outros.

E enquanto a maioria das crianças enfrenta esses desafio, a exposição problemática é ampliada para as crianças mais vulneráveis como as que apresentam necessidades especiais, as minorias e os economicamente desfavorecidos. Estas crianças, além de mais frequentemente expostas aos riscos, também enfrentam resultados mais graves.

Então que competências devemos ensinar às nossas crianças como parte da sua cidadania digital? Existem 8 competências em particular:

picture1

Identidade digital:  capacidade de construir e gerir uma identidade saudável online e offline com integridade.

Gestão de tempo: capacidade de gerir o tempo que se passa em frente ao monitor, a multitarefa e o envolvimento em jogos online e media digital com autocontrole.

Gestão de Cyberbullying: capacidade de detectar situações de cyberbullying e saber lidar com as mesmas.

Gestão de segurança cibernética: capacidade de proteger os dados, criando passwords fortes e gerir os vários ataques cibernéticos.

Gestão de privacidades: capacidade de lidar com descrição toda a informação pessoal partilhada online para proteger a privacidade de todos.

Pensamento crítico: capacidade de distinguir informações verdadeiras e falsas, conteúdos bons ou prejudiciais e contactos confiáveis e questionáveis online.

Pegadas digitais: capacidade de compreender a natureza das pegadas digitais e as suas consequências na vida real sabendo geri-las responsavelmente.

Empatia digital: capacidade de demonstrar empatia em relação às próprias necessidades e sentimentos de outros, online.

4.O que parece uma educação digital de qualidade?

Uma educação digital de qualidade deve incluir oportunidades de avaliação e feedback. As ferramentas devem ser abrangentes e adaptáveis a fim de avaliar não só a qualidade técnica mas também as competências da inteligência digital.

Em última análise, tais avaliações devem servir como um meio de fornecer um feedback dando às crianças uma melhor compreensão dos seus pontos fortes e as áreas que necessitam ser trabalhadas, para que eles possam encontrar o seu próprio caminho para o sucesso.

Os nossos líderes necessitam urgentemente de entender a importância da cidadania digital como base da inteligência digital. Os líderes da educação nacional devem prioritizar a implementação de programas de cidadania digital como parte dos programas educativos.

Mais importante ainda, cada um de nós deve iniciar uma educação de cidadania digital na sua própria esfera de influência: os pais em casa, os professores nas escolas e os líderes nas suas comunidades. Não há razão nem tempo para esperar. As nossas crianças já estão imersas no mundo digital e já estão a influenciar o que o mundo irá parecer amanhã.

Cabe a cada um de nós garantir que as nossas crianças estão equipadas com as competências e com o suporte necessário para tornar este mundo num lugar onde eles possam prosperar. Pensemos nisso…..

A Happy Code é uma uma escola de tecnologia e programação para crianças e jovens a partir dos 6 anos. Ensinamos a literacia do futuro de uma forma divertida! A nossa missão é ensinar tecnologia e programação a todas as crianças. Para saber mais, veja os nossos cursos e siga-nos:

   face   insta   twitter    pint

15 Frases, 15 Ideias porque deveríamos ensinar as nossas crianças a programarAprender programação permite que estudantes com dificuldades possam brilhar
PortugalBrazil