8 dicas para garantir uma internet segura para crianças | Happy Code

8 dicas para garantir uma internet segura para crianças

Janeiro 21, 2019

Hoje em dia as crianças parecem já nascer com competências para manusear equipamentos electrónicos e tecnológicos, mas continuam a ser ingénuas. Por isso, os pais tem de estar atentos, para garantir uma internet segura para crianças.

Não podemos impedir que elas tenham contacto com esse espaço, mas é fundamental que tenham acesso apenas ao que é adequado para a idade delas. Como tal, é preciso adoptar medidas que ajudem a proteger as crianças enquanto estiverem no mundo virtual.

Preparámos este artigo com algumas dicas que o vão ajudar a fazer da internet um lugar seguro para o seu filho. Na continuação, vai descobrir quais as medidas que pode adoptar para que essa ferramenta apenas lhe traga benefícios.

1. Adopte ferramentas para bloquear conteúdos

Existem algumas ferramentas em forma de recursos do próprio sistema operacional, aplicações ou softwares que ajudam a bloquear certos tipos de conteúdo. Algumas impedem que eles sejam abertos no computador ou telemóvel, enquanto outras permitem monitorizar qual o conteúdo a que está a ser acedido.

É possível configurar essas ferramentas conforme o que os pais julguem adequado para os seus filhos. Mas é importante conversar com as crianças e explicar que essa é uma medida preventiva e para protecção delas, não necessariamente um castigo ou invasão.

2. Active a pesquisa segura

Tanto para dispositivos móveis como para o computador é viável activar o sistema de pesquisa segura, que também limita o tipo de conteúdo que será exibido nos resultados de pesquisa. Esse recurso impede que sejam abertas as páginas que o utilizador definiu como indesejadas.

É possível configurar conforme o tipo de conteúdo que deseja evitar que o seu filho tenha acesso. Isso é feito por meio de filtros que  selecciona de uma forma muito simples e rápida, porém bastante eficaz.

3. Limite o acesso a aplicações e jogos

Em tablets e telemóveis dá para criar diferentes perfis numa mesma máquina para que as crianças possam ter acesso à internet e brincar com jogos e aplicações adequadas à sua idade. Dessa forma é possível evitar que elas tenham contacto com conteúdos inadequados para as suas idades.

Essa também é uma boa alternativa quando é preciso partilhar o mesmo equipamento. Assim, os pais não precisam restringir as suas acções, porque cada pessoa terá o seu perfil de utilizador. Ao mesmo tempo, fica mais fácil monitorizar aquilo que a criança está a fazer.

Esse é um recurso que também está presente nos computadores e funciona da mesma forma que nos dispositivos móveis. Além de limitar o que aquilo a que será dado acesso, é possível estabelecer um horário para que a máquina desligue, a fim de controlar o tempo que a criança permanece online.

4. Use um bom antivírus

Diversos programas maliciosos circulam pela internet e podem invadir a sua rede doméstica. Ao mesmo tempo, os hackers estão constantemente a tentar ludibriar esse sistema para roubar dados e outras informações pessoais. Por isso, o antivírus é uma das opções para que mantenha a internet segura para crianças.

Existem bons programas pagos e gratuitos, o que  não pode esquecer é que ele precisa de ser o mais completo possível, protegendo contra trojans, malwares e outros. Além disso, lembre-se de o manter actualizado para que consiga bloquear até mesmo os vírus mais recentes.

5. Troque constantemente as passwords

Outro recurso fundamental para manter a internet segura para crianças, e para todos os membros da família, é trocar constantemente as passwords que utilizam. A de acesso à sua rede de internet é a principal delas e deve alterá-la para evitar que seja invadida.

Além disso, mude também as passwords dos programas e sites que o seu filho utiliza. Se preferir, pode não lhe revelar quais são, de modo que tenha que fazer o login. Essa é uma forma de evitar que, na sua ingenuidade, ele partilhe essas informações tão importantes.

6. Instale apenas programas de fontes fiáveis

Evite instalar aplicações, jogos e outros programas de fontes pouco fiáveis nos dispositivos que o seu filho usa. Isso porque, junto com essas ferramentas, podem vir vírus ou conter lacunas que favoreçam a invasão de hackers.

Prefira as lojas oficiais como o Google Play e a App Store. Existem ainda outras, como aquelas que pertencem ao próprio fabricante dos dispositivos móveis. Todas elas são seguras porque trazem uma empresa real como sua criadora e responsável. Apenas evite fazer downloads de sites que não sejam oficiais.

7. Esteja por perto

Alguns pais acreditam que monitorizar a actividade dos filhos é uma invasão de privacidade, mas na verdade trata-se de garantir a sua segurança. Por isso, mantenha-se sempre por perto do seu filho também no mundo virtual, assim como o faz na vida real.

Adicione-o como seu contacto nas redes sociais e se ainda não estiver naquelas em que ele está, crie um perfil. Assim poderá observar o que ele está a postar na internet, as pessoas com quem está a conversar e também aquelas que estão a seguir o seu filho.

Não é preciso fazer uma marcação acirrada e nem comentar ou gostar/colocar like em tudo aquilo que ele postar. Só precisa observar, como um espectador, para poder orientar quando algo estiver errado e observar com que tipo de pessoas ele se está a relacionar.

8. Instrua e mantenha um diálogo aberto

Conversar com o seu filho é fundamental para que ele saiba usar a internet de uma forma segura. É muito importante manter um diálogo aberto e explicar os riscos aos quais ele está exposto se não souber como navegar pelo mundo virtual.

Da mesma forma que lhe explicou que é importante olhar para os dois lados da rua antes de atravessar, não falar com estranhos e não aceitar nada de ninguém, explique-lhe o lado mau da internet.

Fale sobre as pessoas mal intencionadas, da importância de não revelar dados pessoais, não enviar fotos íntimas, de evitar adicionar pessoas estranhas, entre outras recomendações. Tudo isso para que ele compreenda que a internet é uma excelente ferramenta de entretenimento e aprendizagem, mas que pode esconder armadilhas.

A intenção não é assustar, mas sim deixar a internet segura para crianças, de modo a que elas possam aproveitar esse universo de uma forma saudável. Por isso, a sua postura deve ser orientar, para que o seu filho desenvolva a maturidade necessária para ter contacto com esse universo.

Deixar a internet segura para crianças deve ser a preocupação de todos os pais. Existem muitos recursos positivos nessa ferramenta, que é excelente para o desenvolvimento intelectual e social dos mais pequenos. Porém, não podemos ser ingénuos e, como sabemos que há pessoas mal intencionadas, é fundamental garantir que as crianças estejam protegidas nesse espaço.

Gostou destas dicas? Então partilhe este artigo nas suas redes sociais, para que outros pais também possam proteger os seus filhos na internet.

Sobre a Happy Code

A Happy Code é uma escola de programação, tendo como missão formar pensadores e criadores do século XXI. Com uma metodologia de ensino baseada no conceito STEAM (“Science, Technology, Engineering, Arts and Math”), os cursos lecionados incidem sobre a programação de computadores, desenvolvimento de jogos e aplicações, robótica com drones, bem como produção e edição de vídeos para o YouTube.

Tendo como premissa de atuação os valores da responsabilidade, da confiança, da inovação e da consciência social, a Happy Code leciona os seus cursos em centros próprios ou em escolas, empresas, municípios, projetos sociais, centros de estudo, ATLs, entre outros, estando já presente em várias zonas de Portugal.
Para saberes mais, vê os nossos cursos e segue-nos:

 face   insta   twitter    pint

Literacia digital: sabe quais são as vantagens?Como se proteger contra a divulgação de fotos íntimas (nudes)