Como se proteger contra a divulgação de fotos íntimas (nudes) | Happy Code

Como se proteger contra a divulgação de fotos íntimas (nudes)

Janeiro 25, 2019

Não é novidade para ninguém que a Internet proporciona um rápido fluxo de partilha de conteúdo entre os seus utilizadores, da mesma forma que também já sabemos que o conteúdo digital não tem anulação e, por regra, nunca é esquecido. Portanto, não hesite! Todos os utilizadores, inclusive os mais jovens, devem pensar bem sobre os riscos de se partilhar conteúdos íntimos (como nudes) ou confidenciais na Internet. Por mais tentadora que seja a prática de sexting (envio de nudes e mensagens), cuidado, pois pode acabar em revenge porn (vingança porno), e o que era divertido pode vir a tornar-se em algo assustador.

Quem não conhece alguma história de nudes que se tornaram virais no cyberespaço? Ou de algum utilizador que se prejudicou profissionalmente por revelar informações confidenciais na web?

Então, não faça nenhuma asneira e faça da sua privacidade e segurança virtual uma prioridade. Mas, caso o pior ocorra e determinado conteúdo sensível seja divulgado, esteja muito atento às próximas dicas:

  1. mantenha-se próximo de familiares, amigos, professores e procure profissionais como psicólogos e advogados especializados;
  2. preserve o conteúdo através dos links e imagens (prints/atas notariais);
  3. denuncie extrajudicialmente o conteúdo ao provedor da aplicação.

E MAIS: procure a responsabilização dos envolvidos, ou seja, tanto o responsável pela divulgação como aqueles que partilharam ou gostaram/fizeram like no conteúdo, pois tais práticas configuram ilícitos passíveis de punição tanto no âmbito civil (reparação de danos), como criminal (prática dos crimes contra a honra e, inclusive, possível prática de pornografia infantil nos casos de menores de idade).

Sabia?

As vítimas de divulgação de nudes na Internet podem buscar auxílio jurídico e psicológico através das páginas eletrónicas Internet Segura, http://apav.pt/cibercrime/, da página de denúncias do Ministério Público e da Polícia Judiciária de da sua Unidade de Combate ao Cibercrime, que receberão e encaminharão as denúncias de crimes na web para as autoridades competentes.

Adaptado para Portugal de artigo de Helena Mendonça (Nethics Educação Digital).

Sobre a Happy Code

A Happy Code é uma escola de programação, tendo como missão formar pensadores e criadores do século XXI. Com uma metodologia de ensino baseada no conceito STEAM (“Science, Technology, Engineering, Arts and Math”), os cursos lecionados incidem sobre a programação de computadores, desenvolvimento de jogos e aplicações, robótica com drones, bem como produção e edição de vídeos para o YouTube.

Tendo como premissa de atuação os valores da responsabilidade, da confiança, da inovação e da consciência social, a Happy Code leciona os seus cursos em centros próprios ou em escolas, empresas, municípios, projetos sociais, centros de estudo, ATLs, entre outros, estando já presente em várias zonas de Portugal.
Para saberes mais, vê os nossos cursos e segue-nos:

 face   insta   twitter    pint

8 dicas para garantir uma internet segura para criançasA Internet é realmente um bom lugar para fazer pesquisas?