Por que incentivar o ensino de STEM ao seu filho? | Happy Code

Por que incentivar o ensino de STEM ao seu filho?

Outubro 21, 2018

Nos últimos anos, temos ouvido falar muito sobre incentivar o ensino de STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática). Mas a grande questão é: porque nos devemos preocupar e como é que esta aprendizagem pode ajudar no desenvolvimento do meu filho?

A educação STEM tornou-se importante a partir das evoluções da era digital, para uma melhor compreensão das crescentes inovações e, em consequência, com a elevada procura de trabalhadores qualificados nessa áreas. De acordo com o Departamento de Educação dos Estados Unidos, apenas 16% dos alunos do ensino médio americano são proficientes em matemática e interessados ​​numa carreira STEM. Esta pesquisa também revelou que apenas 29% dos cidadãos americanos classificaram a educação básica do país como eficiente.

A América Latina possui números ainda mais alarmantes. Em 2015, os países latinos estavam, em média, 2,5 anos de escolaridade atrás da média da OCDE, Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico. Os países asiáticos, como a Coreia do Sul, apresentavam níveis educacionais piores do que muitos países latino-americanos há 50 anos. Mas hoje em dia a a Coreia do Sul tem mais anos de escolaridade e resultados educacionais significativamente melhores do que qualquer país latino-americano.

Em avaliações de educação mundiais, os jovens portugueses ainda estão equiparados aos brasileiros, em condições precárias no que diz respeito à aprendizagem STEM. Na América latina, aproximadamente 50% dos mexicanos, colombianos e brasileiros não possuem as competências necessárias para resolver equações matemáticas simples ou para explicar fenómenos científicos básicos. Talvez ainda mais surpreendente seja que somente uma pequena percentagem (menos de 1%) dos estudantes latino-americanos obtenha uma pontuação alta nos exames internacionais; e mesmo os estudantes de escolas privadas da América Latina têm desempenhos abaixo do dos estudantes do mesmo grau de escolaridade noutros países.

Qual é a solução?

A educação STEM deve ir além da teoria, para que os alunos possam ver a sua relevância e as carreiras disponíveis que oferecem. Expondo os alunos às aplicações do STEM desde muito novos, através de abordagens interessantes e divertidas – como multimedia interactiva, aprendizagem prática baseada em projectos e equipamentos modernos – podemos transformar o interesse em STEM num desejo real de uma carreira promissora.

Portanto, em resumo, a solução está em garantir que a educação STEM seja prática, relevante, envolvente, interactiva, baseada em projectos. Assim, não só vai despertar o interesse por assuntos relacionados com STEM, mas também motivará os alunos a levar esse entusiasmo para os seus estudos e carreiras.

Preparando as crianças para os empregos do futuro

Nunca é cedo demais para as crianças, de todas as idades, se começarem a preparar para uma carreira profissional, especialmente aquelas que estão interessadas ​​em tecnologia. O mundo em que vivemos hoje continua a depender cada vez mais de competências digitais e as ofertas de trabalho em programação tem muita procura. Agora que as carreiras do STEM são um dos grandes focos do mercado, aprender competências tecnológicas é essencial para qualquer caminho de carreira bem sucedida. Por isso, compilámos os principais motivos sobre como o ensino de STEM ajuda na futura profissão do seu filho:

  • Resolução de problemas.

    É essencial aprender a resolver problemas, pois essa competência é um benefício para qualquer profissão. Resolver problemas geralmente inclui muitos testes e erros, permitindo a reflexão e análise quando surgem complicações. Quando aprendemos a lidar com a tecnologia, adquirimos a capacidade de entender a importância da estruturação, organizando os problemas em etapas menores e de mais fácil gestão.

  • Comunicação.

    Quando as crianças aprendem competências tecnológicas, mudam positivamente a maneira como são capazes de se comunicarem umas com as outras. Com a criação de jogos e aplicações, desenvolvem-se tanto competências técnicas como criativas. Para que isso seja feito com sucesso, são estimuladas a comunicarem-se com os outros. Quando as crianças estão a criar e a construir, as suas mentes estão sempre a procurar novas ideias.

  • Desenvolve competências essenciais para o futuro.

    Permite que compreendam melhor uma variedade de assuntos, o que significa que elas se vão poder relacionar melhor com o mundo exterior. Oferece aos alunos uma vantagem competitiva porque ajuda na alfabetização de competências essenciais, tais como pensamento crítico, colaboração, liderança, adaptabilidade, empreendedorismo, escrita eficaz, acesso e análise de informações, criatividade, trabalho em equipa, entre muitas outras. Estas competências serão fundamentais para o futuro das crianças.

  • Prepara o caminho para carreiras com elevada procura.

    Milhões de trabalhos relacionados com as áreas de STEM estarão disponíveis nos próximos anos, com possibilidades ilimitadas que podem literalmente mudar vidas para melhor, e o seu filho pode encontrar soluções para problemas importantes do mundo real.

  • É a alfabetização básica na era digital.

    As crianças estão a crescer num mundo muito diferente daquele em que os seus pais cresceram. Uma coisa é saber como usar essas tecnologias, outra, no entanto, é entender a lógica por trás delas. É necessário que compreendam e manipulem o mundo digital em que habitam. Os estudantes de hoje devem poder não apenas consumir passivamente tecnologia, mas também compreendê-la e controlá-la, tornando-se parte activa desta grande mudança digital.

Os pais são essenciais na promoção do ensino de STEM

Os pais, como influências de longo prazo na vida das crianças, podem ajudá-las a estabelecer ligações entre a aprendizagem STEM na escola e fora dela, bem como entre as suas experiências de aprendizagem ao longo do tempo. Esse tipo de apoio dos pais tem um efeito forte e positivo na participação das crianças em actividades de ciências, tecnologia, engenharia e matemática.

Muitas vezes ouvimos os pais dizerem coisas como: “Eu não posso apoiar a aprendizagem STEM de uma criança porque eu não tenho conhecimentos para isso”. Tanto os professores como os pais podem se sentir intimidados pelos tópicos STEM, pelas inúmeras novidades que aparecem todos os dias. Quase um terço dos pais, por exemplo, não se sente suficientemente confiante no seu próprio conhecimento científico para apoiar atividades científicas práticas em casa. Mas a opinião dos pais sobre STEM tem um efeito profundo nas crianças pequenas. Quando eles acreditam que é muito difícil ou não é tão importante quanto outros tópicos, as crianças aprendem e passam a acreditar nisso como sendo uma verdade inquestionável.

A boa notícia é que o apoio ao desenvolvimento de crianças não significa que precisa de ser um especialista. Na realidade, uma das coisas mais importantes que os adultos podem fazer é modelar o envolvimento e a curiosidade sobre o mundo ao seu redor. Fazendo perguntas e demonstrando admiração, assumindo o papel de guia, e encorajando a própria curiosidade das crianças, incentiva nelas a motivação para explorar e experimentar.

Como incentivar a aprendizagem do seu filho no século XXI

Na verdade, as crianças passam muito tempo a aprender fora da sala de aula. Então, surge a questão: o que os pais podem fazer para ajudar os seus filhos a desenvolverem competências essenciais para o futuro? Para ter sucesso nos desafios de educar os filhos na era digital é necessário que os pais sirvam de modelo para competências práticas e de boa cidadania, desde apoiar acções comunitárias até reflectir positivamente sobre o que está a acontecer no mundo. Apresentar-se, perante a criança, como um adulto com pensamento crítico e hábil na resolução de problemas pode ser muito inspirador.

Os responsáveis devem reflectir sobre educação digital com os seus filhos e falar sobre a credibilidade e precisão dos recursos digitais, garantindo que eles estejam a obter o máximo proveito destes, sem se colocar em risco. Por mais competentes que as crianças sejam com a tecnologia, é necessária uma monitorização, sempre acompanhada de diálogo aberto e educação sobre os perigos que a internet pode representar. Aprender sobre outras culturas também é uma excelente maneira de incentivar a mente aberta e transmissão de competências de colaboração e comunicação com os seus filhos, pois promove o respeito para trabalhar em cooperação, num mundo cada vez mais globalizado e diversificado.

No ambiente escolar, devemos defender o nosso filho e a sua aprendizagem, discutindo e sugerindo melhorias com os directores e a equipa pedagógica. Pode-se fazer um debate sobre a implementação do ensino das competências necessárias para o século XXI e até mesmo sugerir que a escola possa ser uma parceira da Happy Code, líder na educação de competências digitais a crianças. Muitas das possibilidades do futuro podem ser incentivadas em escolas mais preparadas e capacitadas para lidar com o mundo digital, de uma maneira mais dinâmica e inovadora que os actuais modelos de ensino.

STEM é um acrónimo de quatro letras, não duas

STEM é um acrónimo para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, num conjunto dos pilares de desenvolvimento nos tempos modernos, entrelaçados pelos seus princípios subjacentes. Mas, quando pensamos nos quatro temas acima, podemo-nos sentir um pouco mais familiarizados com a ciência e a matemática. Porquê? Talvez seja porque a ciência e a matemática são disciplinas escolares, enquanto a tecnologia e a engenharia são frequentemente vistas como tópicos nos quais uma pessoa se pode especializar na universidade. Ou talvez seja porque, como educadores e pais, sentimos que é mais fácil recorrer a ensinar ciência e matemática.

O recurso de ensinar engenharia e tecnologia é de facto muito mais desafiante. Requer mais planificação, assim como recursos mais complexos e mais difíceis de usar e obter. No entanto, vale a pena uma abordagem mais holística, à medida que as crianças vêem as maravilhosas aplicações da ciência e da matemática em áreas como tecnologia e engenharia.

Escolas de tecnologia e inovação, como a Happy Code, estão a tentar recuperar o equilíbrio na educação STEM, fornecendo aprendizagem de alta qualidade e promovendo um ensino divertido nos aspectos STEM. Ao fazer isso, esperamos melhorar a qualidade da educação e inspirar os alunos para as possibilidades que as competências em STEM podem oferecer.

Sobre a Happy Code

A Happy Code é uma escola de programação, tendo como missão formar pensadores e criadores do século XXI. Com uma metodologia de ensino baseada no conceito STEAM (“Science, Technology, Engineering, Arts and Math”), os cursos lecionados incidem sobre a programação de computadores, desenvolvimento de jogos e aplicações, robótica com drones, bem como produção e edição de vídeos para o YouTube.

Tendo como premissa de atuação os valores da responsabilidade, da confiança, da inovação e da consciência social, a Happy Code leciona os seus cursos em centros próprios ou em escolas, empresas, municípios, projetos sociais, centros de estudo, ATLs, entre outros, estando já presente em várias zonas de Portugal.
Para saberes mais, vê os nossos cursos e segue-nos:

 face   insta   twitter    pint

Como a Happy Code prepara o aluno para os desafios do século XXI?Saiba como auxiliar o seu filho a criar competências para o futuro