7 dicas práticas para ajudar a desenvolver competências sociais em crianças

7 dicas práticas para ajudar a desenvolver competências sociais em crianças

No mundo moderno, as competências cognitivas tendem a ser estimadas como se fossem as únicas das quais as pessoas precisam para terem sucesso na vida em sociedade. No entanto, também é muito importante desenvolver competências sociais em crianças, pois isso vai fazer a diferença na fase adulta, em vários aspectos.

Tal como é possível estimular o desenvolvimento de competências cognitivas, as sociais também podem ser trabalhadas para alcançar resultados práticos que são percebidos no comportamento das crianças. Por exemplo, uma interacção mais saudável com a família.

Fizemos este post com algumas sugestões sobre como estimular competências sociais em crianças. Se quer tirar levar essa tarefa à letra, basta continuar a leitura. Vamos começar!

Por que trabalhar certas competências ainda na infância?

As competências sociais definem a capacidade de interacção saudável de um indivíduo com outros. Há que ressaltar que elas podem — e devem — ser estimuladas com as cognitivas, para um desenvolvimento completo de uma pessoa na infância e para a preparar para o futuro.

Entre os problemas que dificultam as interacções em sociedade, podemos encontrar duas categorias: internos (formados por transtornos como depressão, ansiedade social e tristeza); e externos (formados por problemas evidentes em relações entre pessoas, como agressividade física ou verbal, falta de respeito e irritabilidade).

As competências sociais devem ser trabalhadas para que essas dificuldades sejam diluídas. Por norma, esses problemas são comuns em jovens e adolescentes, e afectam a vida do resto das pessoas. Por isso, é fundamental começar a trabalhar o desenvolvimento das competências sociais desde a infância.

Afinal, que competências são essas?

Vamos então ver, agora, algumas competências sociais importantes e por que pensamos que devem ser desenvolvidas.

Cooperação

Tal como competitividade, cooperação é uma palavra-chave hoje em dia. Afinal, é preciso saber lidar com as outras pessoas, procurar ajuda para a resolução de problemas em conjunto, e contar com o apoio delas em momentos importantes. Na vida profissional, por exemplo, as ligações de uma pessoa influenciam muito as hipóteses de ser bem-sucedido.

Capacidade de dividir

As relações sociais envolvem partilha e ajuda mútua. Portanto, as pessoas precisam de aprender desde cedo a dividir as coisas, seja para ajudar as outras em momentos extremos de necessidade, seja simplesmente por gentileza. Essa é uma capacidade muito bem-vista e que realmente é bastante valorizada na sociedade.

Comunicação

A vida em sociedade requer a capacidade de transmitir ideias, de se fazer entender e de interagir com diálogos. A comunicação é essencial para que os indivíduos cheguem a objetivos comuns. Portanto, é um dos pilares dos trabalhos em equipa.

Uma criança que não se sabe comunicar perde a oportunidade de expor boas ideias, de influenciar os outros de alguma maneira, assim como de pedir ajuda quando precisa.

Empatia

Essa é mais uma característica importantíssima, inclusive em qualquer momento histórico. A capacidade de olhar para o outro e compadecer-se com as suas dores e dificuldades de uma forma profunda é admirável. Isso porque força as pessoas a desviarem o foco de si mesmas e a considerarem também o outro indivíduo como importante.

Capacidade de demonstrar gratidão

Dizer “obrigado” é valioso. A demonstração de gratidão gera relações saudáveis e cordiais, baseadas no facto de que um indivíduo reconhece o esforço do outro para o beneficiar agradece-lhe por isso. É preciso ensinar às crianças, de forma enfática, a importância de ter essa competência para viver bem em sociedade.

Respeito

Respeitar o outro é uma base fundamental dos relacionamentos interpessoais, e é o principal motor de outras atitudes já aqui citadas, como a empatia. É, basicamente, reconhecer o valor do outro como ser humano tão importante quanto nós, com as suas peculiaridades e trejeitos como sendo algo de particular e digno de compreensão.

As crianças tem de perceber que cada pessoa tem as suas características pessoais e não devem ser maltratadas por isso. Assim, pode incentivar o seu filho a afastar-se de práticas como o bullying.

Como desenvolver as competências sociais em crianças?

As competências mencionadas anteriormente podem ser aperfeiçoadas e desenvolvidas no ser humano através de actividades e exercícios adequados. Veja as dicas que lhe damos abaixo para entender melhor.

1. Dedique tempo

Antes de tudo, tem de encontrar mais tempo para o seu filho, especificamente para monitorizar esta questão das competências sociais. Converse com ele sobre o assunto, ensine-lhe, sempre que possível, as boas práticas. Tudo começa com o diálogo aberto.

Isso significa que também deve ouvir o seu filho. É essencial que exista essa troca para que ambas as partes se sintam livres para falar.

2. Valorize os esforços

Reconheça o trabalho do seu filho quando ele se esforçar para melhorar, ou seja, elogie sempre as suas boas acções. É importante para a criança perceber que ela está a progredir e que as pequenas acções contam para serem recompensadas. Dessa forma, vai conseguir estimular o envolvimento deles e o interesse por essas atitudes.

3. Dê feedbacks

Esta dica está relacionada com a anterior, mas é mais abrangente. Os feedbacks servem para comunicar aos seus filhos como eles se estão a sair nos seus objectivos, não somente quando acertam, mas principalmente quando erram e, nesse caso, deve-se apontar as falhas.

Também é necessário acompanhar as acções deles e fazê-los perceber o tempo que está a ser dedicado para isso. Assim, eles vao aprender a real importância dos ensinamentos que tem transmitido.

4. Ensine a colocar-se no lugar dos outros

Para desenvolver respeito e empatia, ensine o seu filho a colocar-se no lugar dos outros e a tentar compreender as dificuldades alheias. Isso pode, inclusive, ser representado na prática, com brincadeiras de imitação, por exemplo, para que ele perceba a dimensão dessa necessidade. A dica também é útil para desenvolver a capacidade de dividir.

5. Incentive a autocrítica

Faça com que as crianças reconheçam verbalmente os seus erros e admitam o que fizeram. O objetivo é que desenvolvam o sentido de autocrítica, o autoconhecimento e o reconhecimento das próprias falhas. Então, converse cordialmente com elas e ensine o porquê de determinadas acções serem erradas e prejudiciais para a vida em sociedade.

6. Incentive a interacção social

Esta é uma das dicas mais importantes. Faça com que o seu filho participe em grupos de interacção, em que ele possa trabalhar em equipa e explorar a cooperação e comunicação. Afinal, a melhor maneira de cultivar essas competências é tentando trabalhá-las na prática.

Acompanhe as experiências dele nesses grupos e ensine aos poucos, com diálogos, as boas práticas para melhorar as relações sociais quando ele estiver inserido num conjunto de pessoas.

7. Estimule o bom uso da tecnologia e de jogos

A tecnologia pode ser uma enorme aliada para o desenvolvimento de competências sociais em crianças. Aprender actividades como a programação ajuda a desenvolver o sentido de cooperação e a comunicação já na infância, pois requer constantemente que os alunos procurem a ajuda de outros para a resolução de problemas.

A internet em si pode ser uma boa ferramenta para comunicação, quando bem usada. Nela, o seu filho pode interagir com outras pessoas, conhecê-las melhor e entendê-las para conseguir empatia.

Os jogos também têm uma importância fundamental nisso e podem trazer benefícios para o futuro. O videojogo, por exemplo, é capaz de estimular competências que o mercado exige, tais como comunicação e cooperação, com o trabalho em equipa.

Enfim, existe uma série de competências cruciais para a vida em sociedade que precisam ser cultivadas para que as crianças se preparem melhor para quando forem adultas. Neste artigo, mencionámos as mais relevantes. Com paciência e boa vontade, você vai ajudar o seu filho a trilhar um caminho de sucesso.

Como vimos, o bom uso das tecnologias pode auxiliar no aperfeiçoamento de competências sociais em crianças, entre outras vantagens. Gostava de saber mais sobre o assunto? Aproveite a oportunidade para perceber o papel da tecnologia na educação infantil. Boa leitura!

Sobre a Happy Code

A Happy Code é uma escola de programação, tendo como missão formar pensadores e criadores do século XXI. Com uma metodologia de ensino baseada no conceito STEAM (“Science, Technology, Engineering, Arts and Math”), os cursos lecionados incidem sobre a programação de computadores, desenvolvimento de jogos e aplicações, robótica com drones, bem como produção e edição de vídeos para o YouTube.

Tendo como premissa de atuação os valores da responsabilidade, da confiança, da inovação e da consciência social, a Happy Code leciona os seus cursos em centros próprios ou em escolas, empresas, municípios, projetos sociais, centros de estudo, ATLs, entre outros, estando já presente em várias zonas de Portugal.

0 Comentários

Deixe um comentário

gtag('config', 'AW-868132947');