Como explicar um Algoritmo a uma criança

Como explicar um Algoritmo a uma criança

A palavra “algoritmo” pode não parecer relevante para as crianças, mas a verdade é que os algoritmos estão implícitos e integrados em tudo o que as rodeia, são aplicados em tudo e são usados em toda a tecnologia e em todas as decisões que as crianças tomam diariamente. Muitas vezes a questão é sobre como explicar um algoritmo a uma criança, mas a verdade é que os algoritmos são fascinantes e, embora alguns sejam bastante complexos, o conceito em si é bastante simples.

O que é um Algoritmo?

Um algoritmo assemelha-se a uma instrução detalhada, com diferentes passos, ou a uma fórmula de resolver um problema ou de completar uma tarefa. Na programação, os programadores escrevem algoritmos que dão ordens ao computador para que este realize uma determinada tarefa.

Quando pensamos, em geral, num algoritmo (não apenas em computação), estes estão aplicados em tudo. Uma receita de culinária é um algoritmo, o método que se usa para resolver contas de adição ou de divisão é um algoritmo, o processo de dobrar uma camisa ou um par de calças é um algoritmo. Até mesmo a rotina matinal pode ser considerada um algoritmo! Na imagem que se segue, está traduzida uma possível manhã do seu filho num algoritmo.

As crianças podem escrever os seus próprios algoritmos

Incentive as suas crianças a escrever os seus próprios algoritmos. Como por exemplo, o algoritmo que executam todas as manhãs! Se for mais fácil começar por tarefas mais pequenas, considere propor escovar os dentes ou comer cereais. Indirectamente e sem suspeitarem, eles estarão a explorar conceitos computacionais muito importantes tais como repetições (ex: escovar os dentes de baixo, do lado esquerdo, cinco vezes), sequências (pôr os cereais na taça e de seguida o leite) e lógica condicional (se a taça estiver vazia, parar de comer).

Desafie as suas crianças para serem o mais específicas possível com as instruções. Os computadores não sabem quais as suas intenções e pensamentos, portanto se não especificar que necessita de tirar primeiro a taça para cima da mesa, irá certamente acabar por deitar todo o leite no chão!

Nas aulas de matemática, as crianças aprendem sobre números primos e como podem determinar se um número é primo. No entanto, com números muito grandes, este processo torna-se relativamente mais difícil. Por exemplo, para o número 493, há que efectuar aproximadamente 15 pequenos cálculos para determinar que o número 493 não é primo (17 * 29 = 493). Com algoritmos, as crianças podem executar estas tarefas de uma forma rápida e simples.

Os benefícios de pensar com Algoritmos

Pensar com recurso a algoritmos pode também ser definido como o desenho mental dos passos necessários para resolver um problema. Esta capacidade é crucial para o sucesso em áreas como Matemática e Ciências. As crianças usam algoritmos a toda a hora e sem se aperceberem, particularmente em Matemática. Para resolver um problema que inclua uma divisão longa, as crianças automaticamente aplicam um algoritmo previamente ensinado, que lhes permite iterar os dígitos da resposta do problema. Para cada dígito do dividendo (o número que está a ser dividido), a criança tem que dividir, multiplicar e subtrair. Em suma, utilizar algoritmos permite que as crianças consigam partir problemas complexos numa soma de problemas menores e mais fáceis. Também permite que estes conceptualizem soluções de problemas em termos de passos claros e bem definidos, parte de um procedimento ou protocolo.

As crianças podem fortalecer o seu raciocínio de algoritmos ao completar uma série de actividades de criação de linhas de código. Para completar puzzles, por exemplo, as crianças desenham algoritmos simples baseados em sequências, repetições e lógica condicional aplicada aos problemas do quotidiano. Tal como todas as competências, as crianças poderão também melhorar o seu raciocínio sobre algoritmos se praticarem diariamente e executarem projectos criativos onde possam aplicar e consolidar os conceitos aprendidos.

0 Comentários

Deixe um comentário