Todas as nossas atividades podem ser presenciais ou online. Inscreve-te já!
Como funciona a carreira de um gamer profissional?

Como funciona a carreira de um gamer profissional?

Mais do que um momento de interacção com os amigos ou de entretenimento, jogar é uma profissão para o gamer profissional. Afinal, ele ganha dinheiro a jogar ou a participar em competições. Esse valor é proveniente de dos prémios, patrocínios, monetização, publicidade e venda de produtos.

Essa carreira é como a de qualquer atleta, pois os jogadores são considerados desportistas digitais e treinam todos os dias. Eles também precisam de passar muitas horas a estudar técnicas e estratégias para superar os seus adversários. Existem pessoas que, inclusive, recebem dinheiro para escrever críticas sobre jogos e produzem vídeos para plataformas como o YouTube sobre o tema.

Se o seu filho gosta de jogar e quer se tornar um gamer profissional, continue a ler e saiba mais sobre esta carreira!

Qual é a rotina do gamer profissional?

Assim como qualquer atleta, os gamers profissionais costumam fazer parte de equipas patrocinadas. Em geral, as equipas vivem no equivalente a centro de alto rendimento, nos quais passam boa parte do dia a estudar e treinar.

Nas chamadas Gaming Houses, os jogadores têm uma rotina de 8 a 12 horas de prática de jogos e de estudo com a orientação de um técnico, além de análises dos jogos dos adversários e discussões de estratégias. Nesses locais, eles contam com computadores de última geração ligados à internet, salas climatizadas, refeições planeadas por nutricionistas, entre muitas outras vantagens.

Mas a vida desses profissionais não se resume aos computadores. Para manter a saúde física e mental, é importante que eles frequentem o ginásio e recebam apoio psicológico.

Como ajudar o seu filho a tornar-se um gamer profissional?

O caminho para crianças e adolescentes que se querem tornar jogadores profissionais é longo e exige muita dedicação e esforço. Para ter sucesso na carreira, não basta apenas ter boas tácticas para competir – é preciso desenvolver competências, ter boa comunicação, encontrar uma equipa comprometida, entre outras condições.

Saiba como pode ajudar o seu filho nessa empreitada.

Incentivar os estudos

Quem se quer tornar um gamer profissional precisa de estudar muito. Assistir aos jogos de outros jogadores ajuda a aprender novas técnicas, por exemplo. Além disso, existem vídeos e tutoriais que ensinam muito sobre diferentes tipos de jogos. Também é interessante gravar os jogos do seu filho e pedir para que ele os rever, para identificar os erros ou pontos de melhoria.

Outro ponto importante é estudar a dinâmica e mecânica dos jogos, como entender o estilo do jogo, conhecer os artifícios, entre outros. Assim, o jogador consegue deduzir os movimentos do oponente, mesmo que não conheça as suas estratégias.

Ensinar a ter limites

Os jogadores profissionais também precisam de ficar algum tempo longe dos computadores. Por isso, é bom determinar regras que incluam uma alimentação saudável, exercícios físicos e uma boa noite de sono.

Investir nos equipamentos necessários

Os equipamentos para jogos são caros, porém, são o melhor investimento para os jogadores. Periféricos da categoria gamer, como cadeira, monitor, mouse, headset, teclado, entre outros, são boas apostas para melhorar o desempenho do seu filho nos jogos.

Cuidar do psicológico

Expectativas e pressão vêm de todos os lados: dos colegas de equipa, da organização e dos apoiantes. Saber lidar com isso é fundamental para manter a saúde mental. Por isso, é importante que a criança ou o adolescente tenham acompanhamento psicológico e saibam manter a calma em situações de stress.

Quais são as competências desenvolvidas com a prática de criação de jogos?

Além de jogar, o jovem pode aprender a criar os seus jogos. Isso é importante para que entenda como funcionam os jogos e desenvolva algumas competências importantes para a vida adulta.

Raciocínio lógico

Através das linguagens de programação, os alunos são incentivados a organizar melhor o seu pensamento. Ao precisar de transmitir acções criadas em códigos para o computador, eles aprendem a criar sequências que resultam na função desejada.

Criatividade

Ao desenvolver um jogo, o estudante precisa planear tanto a estrutura da programação como o seu visual, a sua funcionalidade, entre outros detalhes importantes para ter um bom jogo. Para isso, é necessário pensar e usar a criatividade. Assim, crianças e adolescentes ampliam as suas visões do mundo e interessam-se por saber o que são capazes de fazer com o conhecimento.

Perseverança

Depois de escrever um código, pode acontecer de ele que não funcione como deveria. Como tal, é normal ter que recomeçar ou perder bastante tempo a procurar o erro. Isso mostra que programar incentiva o jovem a aceitar os seus erros e a continuar a tentar resolver os problemas.

Como a gamificação está a transformar o modo de aprender?

A gamificação usa a lógica dos jogos noutros contextos. Ao levar esses elementos para a educação, estamos a usar as estratégias próprias dos jogos para deixar o processo de aprendizagem mais cativante. Para isso, são mantidos os comportamentos naturais dos seres humanos, como a procura por recompensa, socialização, competitividade e o prazer pela superação.

A gamificação não é apenas dar um prémio ao aluno depois de cada tarefa concluída. Ela permite usar as técnicas e o design próprios dos jogos para enriquecer o processo de ensino-aprendizagem, estimulando a procura pelo conhecimento e promovendo um ambiente desafiador e atraente.

A grande vantagem é que ela impulsiona o envolvimento e a motivação dos alunos. Para isso, é necessário criar um ambiente lúdico, que promova o trabalho em equipa, a competição e a conquista de objetivos.

Assim como um jogo, essa estratégia capta a atenção dos jovens ao oferecer recompensas depois de cada meta cumprida e ao mostrar níveis superiores que podem ser alcançados à medida que avançam nos seus conhecimentos.

Para levar as tácticas dos jogos para a sala de aula, os professores devem encorajar os seus alunos a envolverem-se nas tarefas. É importante pensar num sistema que ofereça gratificações e dificuldades crescentes de acordo com a evolução do estudante, disponibilizando actividades mais difíceis a cada objetivo conquistado.

Agora que conhece a rotina de um gamer profissional, já pode ajudar o seu filho a tornar-se num. É muito importante que crianças e adolescentes saibam que recebem o apoio dos pais para fazer aquilo que mais gostam, seja por lazer ou profissionalmente. Por isso, dê todo o suporte necessário e incentive-os a seguirem os seus sonhos no mundo digital.

Se o seu filho quer seguir a carreira de gamer profissional, não deixe de o inscrever numa escola de referência a formar pessoas prontas para lidar com os novos desafios da era digital. Contacte-nos!

Sobre a Happy Code

A Happy Code é uma escola de programação, tendo como missão formar pensadores e criadores do século XXI. Com uma metodologia de ensino baseada no conceito STEAM (“Science, Technology, Engineering, Arts and Math”), os cursos leccionados incidem sobre a programação de computadores, desenvolvimento de jogos e aplicações, robótica com drones, bem como produção e edição de vídeos para o YouTube.

Tendo como premissa de actuação os valores da responsabilidade, da confiança, da inovação e da consciência social, a Happy Code lecciona os seus cursos em centros próprios ou em escolas, empresas, municípios, projectos sociais, centros de estudo, ATLs, entre outros, estando já presente em várias zonas de Portugal.

0 Comentários

Deixe um comentário