Skip to content

Competências tecnológicas fortalecem a confiança dos jovens

Há muitas maneiras em que podemos ser beneficiados pela tecnologia, principalmente com a facilidade e confiança que os jovens têm para dominar as novas tecnologias e explorar todas as possibilidades.

O incentivo de aprender novas competências tecnológicas tem apresentado inúmeros benefícios, de entre os quais está o amadurecimento comportamental, intelectual e autoconfiança. A autoconfiança é um ingrediente fundamental em todos os aspectos do desenvolvimento saudável das pessoas e é crucial para se relacionar com os outros e encarar tanto os desafios sociais como partilhar, colaborar e fazer amigos.

As pesquisas na Internet têm um potencial considerável para ajudar a nossa autoconfiança e auto-estima. Hoje, a informação está muito acessível e online é possível encontrar muitas dicas e sugestões realmente úteis. Há algumas publicações muito boas que oferecem informações úteis sobre como lidar com a ansiedade, depressão, obsessões e fobias. Há também livros que o ajudam a adquirir auto-conhecimento – possivelmente um componente essencial da autoconfiança – e outros que o ajudam a perceber a terapia cognitiva e a aplicá-la a si mesmo. Uma palavra de advertência: é necessário filtrar o conteúdo, pois os livros de auto-ajuda também podem conter péssimos conselhos, incluindo algumas coisas muito desactualizadas, sugerindo que deve ser sempre positivo, e não realista.

A vida actual e os ambientes de trabalho exigem muito mais do que competências de pensamento e conhecimento de conteúdo e a capacidade de ser confiante é muito exigida numa carreira. A aprendizagem de competências tecnológicas permite a adaptação a mudanças, flexibilidade e incorporação de feedback de forma eficaz. Também é possível gerir melhor o tempo, definir objectivos com critérios de sucesso tangíveis e intangíveis, equilibrar metas tácticas (de curto prazo) e estratégicas (de longo prazo) e demonstrar compromisso com o processo de aprendizagem. Além de interagir efectivamente com os outros, saber quando é apropriado ouvir e quando falar, conduzir um projecto de maneira profissional, respeitar as diferenças culturais e trabalhar eficientemente com pessoas de uma série de origens sociais e culturais diferentes e responder de maneira aberta a diferentes ideias e valores. Todas estas e muitas outras competências conduzem ao desenvolvimento da confiança através da tecnologia.

A ferramenta do Youtube, por exemplo, pode auxiliar no desenvolvimento das crianças e adolescentes que querem ser Youtubers, pois através da gravação de vídeos conseguem melhorar o seu vocabulário, concentração nas actividades, aprendem a resolver problemas, relacionam-se gradualmente melhor com o público do canal o que, em consequência, faz com que a sua confiança se desenvolva.

Um caso incrível de desenvolvimento da confiança numa criança através da tecnologia é o do Miguel, de 11 anos. Ele é aluno da Happy Code e portador de Transtorno do Espectro Autista. A sua mãe, Susy Ferraz, é pedagoga de Educação Infantil na rede municipal de Campinas e, após o diagnóstico, dedicou-se aos estudos, tanto para apoiar da melhor maneira possível o seu filho, como para propagar a conscencialização sobre o assunto. Depois de muita leitura, congressos e pesquisas percebeu que é necessário descobrir os interesses da criança e investir nas suas competências. Susy veio ter com a Happy Code depois de ver o grande interesse de Miguel pela tecnologia, uma característica comum no autismo, e a aprendizagem de competências digitais foi uma forma de estimular o seu desenvolvimento. Ele adorou e percebeu que em conjunto com todos os outros conhecimentos que possui, desenvolveu muito bem a atenção, a procura de caminhos alternativos, imaginação e criatividade e, o que talvez seja o mais importante, é muito feliz nas suas aulas.

Sobre a Happy Code

A Happy Code é uma escola de programação, tendo como missão formar pensadores e criadores do século XXI. Com uma metodologia de ensino baseada no conceito STEAM (“Science, Technology, Engineering, Arts and Math”), os cursos leccionados incidem sobre a programação de computadores, desenvolvimento de jogos e aplicações, robótica com drones, bem como produção e edição de vídeos para o YouTube.

Tendo como premissa de actuação os valores da responsabilidade, da confiança, da inovação e da consciência social, a Happy Code lecciona os seus cursos em centros próprios ou em escolas, empresas, municípios, projectos sociais, centros de estudo, ATLs, entre outros, estando já presente em várias zonas de Portugal.

Back To Top