Todas as nossas atividades podem ser presenciais ou online. INSCREVE-TE AQUI!
Início / Happy Blog / Inspire-se em 7 ideias básicas para usar a tecnologia na educação infantil

Inspire-se em 7 ideias básicas para usar a tecnologia na educação infantil

A infância é uma fase muito importante para o desenvolvimento de competências. Para obter bons resultados, as escolas têm de adotar recursos que facilitem a aprendizagem e as tornem mais atrativas para os alunos. Por isso, a tecnologia na educação infantil é uma alternativa interessante.

Isto porque os estudantes mais novos apresentam uma grande proximidade com as novidades digitais. Ou seja, estão habituados a utilizar os dispositivos móveis no quotidiano para, por exemplo, verem um vídeo no YouTube ou para se divertirem com um jogo online.

Neste artigo, apresentaremos 7 ideias que uma instituição de ensino pode adotar para melhorar a aprendizagem dos alunos com a utilização de ferramentas tecnológicas. Boa leitura!

1. Adotar atividades de low tech Incentivar atividades de low tech é um bom caminho para fortalecer a cultura maker numa escola. Desta forma, os alunos podem ter outras vivências, além da sala de aula e despertar a criatividade através de vídeos curtos de animação.

Para isso, basta contar com força de vontade, plasticina e telemóvel. Com estes recursos, é possível criar um guião que destaque os personagens e o enredo.

A história pode ser construída de forma coletiva pelos alunos, porque favorece a troca de experiências e o desenvolvimento da capacidade de trabalhar em grupo.

Os filmes podem ser exibidos para os pais numa apresentação de trabalhos. Com certeza, é uma alternativa interessante para aproximar os responsáveis pelos estudantes da escola, o que é positivo para fortalecer o relacionamento.

2. Trabalhar com objetos de sucata

Uma forma criativa de implementar a tecnologia na educação infantil abrange a resolução de problemas com a utilização de materiais de sucata, como garrafas, palitos e papéis coloridos. Estas atividades são válidas para as crianças

desenvolverem a autonomia e pensarem em soluções, com foco em resolver desafios.

De acordo com o contexto da tarefa, os estudantes aprendem a utilizar materiais recicláveis que podem ser transformados em novos brinquedos, instrumentos musicais e pequenos robôs. Assim, eles começam a identificar-se com a robótica, que trabalha bastante com a capacidade de os jovens utilizarem o raciocínio para superar desafios.

3. Criar um blog

Para interagir melhor com os pais, uma opção interessante para implementar a tecnologia na educação infantil é a criação de um blog da turma. Podem ser publicados textos pequenos dos alunos com a supervisão dos professores, destacando o que eles acharam das ações realizadas, como, por exemplo, uma visita ao centro da cidade ou um passeio por uma reserva ecológica.

Nesse blog, também podem ser publicados vídeos com depoimentos dos estudantes sobre uma ação desenvolvida na sala de aula. Neste caso, eles devem explicar o que aprenderam e como foi aplicar os conhecimentos no dia-a-dia.

A criação de um blog é fundamental para uma escola mostrar aos pais como as aulas estão a contribuir para a evolução dos filhos. Além disso, faz com que os estudantes tenham um maior estímulo em participar em atividades, o que torna a aprendizagem mais consistente.

4. Explorar o potencial da fotografia

É inegável que a fotografia desperta um grande interesse na maioria das pessoas. Em relação às crianças, isso não é diferente. Registar uma tarefa na sala de aula, um passeio e uma festa, por exemplo, é uma forma de cativar as crianças e os pais.

Estas imagens podem ser colocadas em painéis na sala ou em exposições internas promovidas pela escola para serem visualizadas pelos pais. Também é indicado fazer com que os alunos sejam estimulados a tirar ou a expor as fotografias.

A escola pode sugerir que os alunos apresentem imagens de momentos com a família, como, por exemplo, ir à praia, assistir a uma apresentação no circo, etc. Os estudantes devem ser incentivados a refletir e a opinar sobre a mensagem das fotografias. Isto é relevante para fortalecer o sentido crítico e a oratória.

5. Utilizar ferramentas digitais

Não é possível abordar a tecnologia na educação infantil sem dedicar um espaço à Internet. Afinal, a rede mundial de computadores é uma grande fonte de conhecimento para os alunos. Há diversos websites que oferecem jogos que permitem o desenvolvimento de uma série de ações, tais como:

· Melhorar a coordenação motora.

· Exercitar cálculos matemáticos.

· Conhecer histórias populares.

· Aprender brincadeiras tradicionais no país.

Também é indicado que as escolas abordem o uso adequado das redes sociais e dos dispositivos móveis. As crianças devem ser orientadas sobre como utilizar a Internet de forma educada e moderada.

Esta medida é necessária para combater o cyberbullying e evitar que os estudantes fiquem demasiado envolvidos em atividades relacionadas com os equipamentos eletrónicos, como, por exemplo, tablets e telemóveis.

A turma pode ter uma página no Facebook ou no Instagram, na qual podem ser publicados fotografias e vídeos de tarefas e de passeios. Com esta iniciativa, a escola fortalece a interatividade com os pais, o que é sempre muito positivo.

6. Valorizar as leituras online

Para reforçar a tecnologia na educação infantil, as escolas têm de investir mais nas leituras online. Ou seja, disponibilizar aos estudantes o acesso a livros e revistas pela Internet.

Assim, um aluno pode, inclusive em casa, ler uma banda desenhada como, por exemplo, a Turma da Mónica, que se carateriza por uma linguagem acessível e divertida para as crianças. Fazer com que os estudantes tenham gosto pela leitura através de ferramentas tecnológicas é uma ideia que pode ser muito bem aproveitada pelas escolas.

Para aumentar o envolvimento dos alunos com a leitura, as crianças podem gravar vídeos curtos a contar o que mais gostaram num livro ou numa banda desenhada. Esta ação é um incentivo para mostrarem que compreenderam o conteúdo.

7. Adotar a gamificação

Consiste em utilizar jogos que são elaborados para apoiar a aprendizagem. Ou seja, o estudante tem de mostrar que assimilou a matéria na sala de aula para avançar no jogo.

Cada etapa ultrapassada corresponde a um grau mais avançado. À medida que o aluno vai superando as fases, é maior o grau de dificuldade. Isto é importante para ele estar sempre motivado a jogar.

Se uma escola ignorar as vantagens da tecnologia na educação infantil, é possível que os alunos não se sintam envolvidos com a proposta pedagógica. Isto deve ser evitado ao máximo, porque compromete a qualidade do ensino e afasta os estudantes.

0 comentários

Deixe um comentário: