O ensino de tecnologia traz benefícios sociais e culturais

É evidente que a tecnologia se infiltrou nas nossas vidas, pois agora pode fazer compras, transacções bancárias, comunicar-se, socializar, navegar e colaborar com as pessoas através do seu smartphone ou dispositivo. As crianças estão a aprender a navegar na tecnologia numa idade muito mais jovem à medida que crescem com ela nas suas casas e nas suas vidas. A Geração Z é agora responsável por moldar o que hoje é conhecido como a nossa cultura digital sendo também grandes consumidores de media digital. Por todo mundo a Internet é utilizada por vários motivos; jogos online, comunidades sociais, notícias e entretenimento. No entanto, essa faixa etária usa a tecnologia de uma forma mais imersiva para criar comunidades online e moldar as suas identidades. É essencial que eles desenvolvam competências, através do ensino tecnológico,  para explorar essas áreas com segurança e competência.

Cada vez mais, a principal atracção da tecnologia para os jovens é a participação numa cultura digital global. A Internet permite que as pessoas se liguem a qualquer parte do mundo e criem experiências partilhadas, num conteúdo online que traz o sentimento de inclusão. Os jovens são capazes de fazer amizade com um grupo de pessoas muito maior e culturalmente diversificado. Estão a usar aplicações para cantar, desenvolver a criatividade, fazer amigos, partilhar interesses e socializar com pessoas de todo o mundo. Mantêm-se actualizados, partilham a sua própria linguagem ou gíria e participam de uma comunidade global de memes e comentários sociais.

No entanto, o conceito de privacidade mudou muito nas mentes dos jovens. Os medias sociais podem aumentar as pressões dos adolescentes à medida que procuram popularidade e partilham informações. Alguns adolescentes estão a partilhar grandes quantidades das suas vidas com os seus seguidores online e, com o surgimento dos influencers, a ideia de ter uma vida privada dissipou-se. É uma boa ideia discutir as questões sobre privacidade com os seus filhos e debater se eles devem ter o direito a uma vida privada. Talvez seja uma boa ideia levá-los a pensar sobre a forma como a tecnologia impacta as nossas vidas de maneira positiva e negativa. Esta educação digital deve ajudá-los a distinguir como eles usam a tecnologia, a quantidade de informações que partilham e como podem estar mais conscientes da vida, tanto online como no mundo real.

Ensino Tecnológico

Com o ensino da tecnologia, crianças e adolescentes podem crescer no mundo digital com inúmeras competências sociais e culturais, entre elas podemos citar: saber quando é apropriado ouvir e quando falar, interagir efectivamente com outras pessoas, ter uma conduta respeitável e profissional, trabalhar efectivamente em equipas, respeitar as diferenças culturais e trabalhar de forma eficaz com pessoas de diversas origens sociais e culturais, desenvolver a sua confiança, responder de maneira aberta a diferentes ideias e valores, alavancar as diferenças sociais e culturais para criar novas ideias e aumentar a inovação e a qualidade do trabalho.

Para além disso, o ensino de competências tecnológicas promove que os jovens definam metas com critérios de sucesso tangíveis e intangíveis; equilibrem objetivos tácticos (de curto prazo) e estratégicos (de longo prazo); utilizem melhor o tempo e façam gestão mais eficiente das suas tarefas; monitorizem, definam, priorizem e concluam tarefas com mais facilidade; vão além do domínio básico de competências tecnológicas e do currículo escolar, explorem e desenvolvam a sua própria aprendizagem e oportunidades para ganhar experiência; demonstrem iniciativa para avançar os níveis de competências para um nível profissional e saibam reflectir de forma crítica sobre as experiências passadas, a fim de se informarem sobre o progresso futuro.

 

Sobre a Happy Code

A Happy Code é uma escola de programação, tendo como missão formar pensadores e criadores do século XXI. Com uma metodologia de ensino baseada no conceito STEAM (“Science, Technology, Engineering, Arts and Math”), os cursos lecionados incidem sobre a programação de computadores, desenvolvimento de jogos e aplicações, robótica com drones, bem como produção e edição de vídeos para o YouTube.

Tendo como premissa de atuação os valores da responsabilidade, da confiança, da inovação e da consciência social, a Happy Code leciona os seus cursos em centros próprios ou em escolas, empresas, municípios, projetos sociais, centros de estudo, ATLs, entre outros, estando já presente em várias zonas de Portugal.

0 Comentários

Deixe um comentário

gtag('config', 'AW-868132947');