Skip to content

Sabe como desenvolver as competências dos alunos na escola?

Já passou o tempo em que as obrigações da escola se limitavam a passar conteúdos variados e ensinar disciplina aos estudantes. Este tipo de visão da educação está ultrapassado e, atualmente, as instituições de ensino têm de se adaptar às novas realidades e necessidades. O século XXI é, portanto, um período pautado em desenvolver competências no âmbito educacional.

A escola tem de ter um olhar muito mais abrangente sobre o aluno. Agora, atuamos também como formadores de caráter e, portanto, precisamos de ter uma equipa qualificada e uma boa infraestrutura para lidar com esta realidade. Assim, formamos bases sólidas, não só nas matérias do Currículo Nacional, mas também em capacidades que facilitarão a vida e a entrada desses alunos no mercado de trabalho.

Mas afinal, quais são as competências que devemos desenvolver no ambiente escolar? Mais importante ainda, de que forma conseguimos colocar tudo isso em prática e fazer com que essas caraterísticas façam parte do dia-a-dia dos estudantes na sala de aula? A seguir, abordaremos este tema de forma mais completa e, assim, poderá tirar as suas principais dúvidas. Boa leitura!

Qual é a importância da sala de aula na transformação do conhecimento?

Durante muito tempo, a sala de aula foi um ambiente quase exclusivamente dedicado ao ensino puramente académico. Nela, o professor expunha o conteúdo previsto, tirava as dúvidas dos alunos sobre a matéria e resolvia exercícios para fixar o conhecimento de forma prática.

Com o passar do tempo, no entanto, o conceito de ensino das universidades também começou a ser implementado nas aulas de educação básica. O incentivo ao debate, à pluralidade de ideias e à procura constante por conhecimentos que vão além do âmbito académico passou, por fim, a tomar forma nas escolas.

É praticamente impossível insistir no ensino tradicional e rígido que era a norma antigamente. Agora, a sala de aula tem um verdadeiro papel de protagonista na

transformação do conhecimento, seja por uma intensificação do processo de desenvolvimento de competências psicossociais, seja pela aplicação de novas metodologias mais abrangentes.

Quais são as competências que podem ser trabalhadas na sala de aula?

A seguir, veremos quais são as competências mais comummente trabalhadas na sala de aula e como podem ser úteis para o aluno na sua vida profissional, pessoal e académica.

Análise crítica

Saber analisar os problemas de forma fria e com racionalidade é uma competência importante do século XXI. No meio de fenómenos como a conhecida pós-verdade e a propagação de fake news, desenvolver este tipo de capacidade nos estudantes é um fator diferenciador que os prepara para vários âmbitos da sua vida.

Sentido estético

O desenvolvimento do sentido estético é algo que, infelizmente, é muito negligenciado na educação. Os filósofos da Grécia Antiga preocupavam-se muito com a procura do belo e isso tem se perdido lentamente, o que acarreta uma série de problemas muito profundos na sociedade. Portanto, estimular essa aprendizagem e criatividade é muito importante.

Inteligência emocional

Muitas pessoas, embora tenham um desempenho académico invejável, não têm boas capacidades de inteligência emocional. Neste contexto, é fundamental que trabalhemos esta competência nos estudantes, para ajudá-los a amadurecer e a lidar melhor com as suas emoções.

Empatia

A empatia e o respeito pelo próximo são competências essenciais para o convívio em sociedade. Trabalhá-las na sala de aula, juntamente com o trabalho em equipa, cria não só profissionais mais adequados às necessidades do século XXI, como também mais humanos e integrados no âmbito social.

Comunicação

Outro ponto muito importante e extremamente procurado pelos empregadores, atualmente, tem que ver com a comunicação. Trabalhar aspetos como a oratória e a dialética são fatores diferenciadores incríveis que podem contribuir para aulas muito mais completas.

Raciocínio lógico

O raciocínio lógico vai muito além da capacidade de resolver problemas avançados de matemática. Também tem relação com a velocidade e a eficácia de soluções para problemas quotidianos, que encontramos diariamente no exercício das nossas funções.

Autonomia

Por fim, a autonomia é uma competência que não pode ser deixada de lado. Formar pessoas que pensem por si, que abdiquem do senso comum e que consigam trilhar os seus próprios passos é algo indispensável nas instituições de ensino.

Como podemos desenvolver estas competências na sala de aula?

Agora que já conhecemos as principais competências trabalhadas neste contexto, que tal conferirmos algumas formas muito práticas de colocar estes conceitos em ação no dia-a-dia escolar? A seguir, fique a conhecer algumas dicas.

Tenha uma boa comunicação com os estudantes

A criação de um bom diálogo com os alunos é o alicerce das transformações na educação. Fazê-los compreender os motivos pelos quais as mudanças estão a ser feitas e os objetivos finais desse trabalho é fundamental para que todos estejam envolvidos no projeto.

Faça com que os pais participem na educação

Além da participação efetiva dos alunos, os pais ou responsáveis também têm de ser incluídos nesta realidade. Isso faz com que o trabalho seja feito na casa dos estudantes, tornando a educação muito mais completa e realmente eficaz.

Promova debates

Na Grécia Antiga, berço da filosofia e de muitas ciências, a procura pelo conhecimento era promovida na Ágora, ou seja, nas praças públicas a partir de debates. Trazer este conceito de volta para as salas de aula é algo que trabalha, de modo simultâneo, muitas das competências referidas anteriormente.

Traga o mundo exterior para a sala de aula

Sair um pouco dos livros enriquece qualquer tipo de ensino. Por isso, trazer situações quotidianas para o âmbito educacional é uma boa forma de promover atividades multidisciplinares e, ao mesmo tempo, desenvolver a consciência e a integração do estudante com o meio em que ele está inserido.

Incentive a literacia digital

Atualmente, é impossível dissociar a educação da tecnologia. Por isso, incentivar a literacia digital, ou seja, alfabetizar os alunos com esses conceitos, é a melhor forma de integrá-los na realidade da sociedade e do mercado de trabalho.

Invista na tecnologia Já que falamos sobre tecnologia, não podemos deixar de mencioná-la como uma das mais importantes ferramentas para a transformação do conhecimento. Através de avanços e inovações tecnológicas, é possível fazer com que os alunos se envolvam e aprendam muito mais, especialmente quando ela está associada ao uso de metodologias revolucionárias.

Agora que já sabemos como é possível desenvolver competências no ambiente escolar, não perca tempo! Comece o quanto antes a implementar mudanças no seu estilo de ensino, para alcançar muito mais estudantes e trazer benefícios para a vida deles como um todo. Se for necessário, conte com a ajuda de profissionais especializados na transição!

Para ficar melhor informado sobre o tema, o que acha de conhecer mais sobre o ensino da tecnologia na educação infantil? Esta é uma estratégia revolucionária e que tem mostrado ótimos resultados em todo o mundo. Fique conhecer e boa leitura!

Back To Top