Saiba como auxiliar o seu filho a criar competências para o futuro

Saiba como auxiliar o seu filho a criar competências para o futuro

O mundo está em constante transformação, e a missão dos pais é preparar os seus filhos para essas mudanças. Por isso, é necessário adaptar o nosso modo de educar para incentivar o desenvolvimento de competências únicas e essenciais nas crianças e jovens.

É preciso ensinar mais do que fazer simples contas de matemática, escrever uma boa redacção e decorar as capitais dos países, pois é assim que pais e mães vão contribuir para o sucesso pessoal e profissional daqueles que mais amam — dentro das suas realidades e ideais, é claro.

Quer saber que competências são essas e como as estimular no seu filho? Leia este post!

Quais são as competências do século XXI?

Existem competências que vão muito além do domínio da tecnologia — embora não possamos negar o apoio que ela dá para melhorar a relação que o aluno tem com os estudos e o mundo ao seu redor. Entretanto, aprender algumas competências é fundamental para promover uma aprendizagem de qualidade. Saiba quais!

Paciência

A noção de tempo que uma criança pequena tem é diferente da nossa, por isso é comum a impaciência nessa idade. Entretanto, é preciso ensiná-la, ao longo do seu crescimento, a habituar-se a ter algumas frustrações, para que não se transforme num adulto imaturo.

Uma criança paciente é um aluno mais atento na escola e tolerante às diferenças. Além disso, evitar essa aprendizagem pode ser prejudicial não só para o relacionamento familiar como também para o desenvolvimento emocional do seu filho.

Criatividade

Basta lembrarmos meia dúzia dos comentários inesperados que os mais pequenos fazem para percebermos que a criatividade é própria da mente de qualquer criança. A capacidade de criar, imaginar e ver as coisas sobre outra perspectiva proporciona um sentimento de bem-estar muito grande, contribui para o sucesso escolar e gera felicidade, por essas razões devemos cultivar, ainda mais, essa competência.

Persistência

Novas competências, talentos e conhecimentos podem ser alcançados através de uma boa dose de persistência. Por isso, é fundamental ensinarmos as nossas crianças a não desistirem tão rapidamente daquilo que desejam.

Manias, como abandonar um brinquedo depois de um curto período de tempo e desistir facilmente de algo quando dificuldades aparecem, são exemplos de coisas que devem ser combatidas logo na infância para formar jovens e adultos de sucesso.

Empatia

É da natureza humana demonstrar afecto mas, em algum momento da história, fomos ensinados que isso era sinónimo de fraqueza. No entanto, a capacidade de se colocar no lugar do outro, além de melhorar a qualidade das relações, é essencial para o desenvolvimento de competências interpessoais, como destacou Susanne A. Denham no seu livro Emotional Development in Your Children, de 1998.

Foco e concentração

A capacidade de foco e concentração é outro factor determinante para o sucesso pedagógico de uma criança. Embora trabalhar em modo multitasking seja uma competência inata das novas gerações, alguns afazeres, como os estudos, precisam de dedicação exclusiva.

No entanto, as crianças e jovens vivem numa realidade virtual poderosa, em que é possível pesquisar sobre um tema interessante, conversar com amigos através de chats, ouvir música e jogar o jogo favorito — tudo ao mesmo tempo —, e isso resulta numa dificuldade em se focarem em algo. Isso evidencia a importância do desenvolvimento dessa competência.

Como pode auxiliar o seu filho a criar estas competências?

É preciso compreender que essas competências não são prémios de nascença, mas que podem ser desenvolvidas ao longo da infância, da mesma forma que a criança aprende matemática, ciências e língua portuguesa na escola. Reunimos algumas dicas que podem ajudar a preparar o seu filho para o futuro. Veja!

Dê limites, mas não impeça a postura interrogativa da criança

Sabemos que não é possível dizer sim a tudo e que as crianças devem aprender a respeitar certas ordens, mas não podemos abafar características fundamentais da sua personalidade para o mercado de trabalho, como garra, liderança e iniciativa.

O que num adulto é considerado persistência, na infância é encarado como teimosia. É uma questão, também, de ponto de vista, e podar excessivamente certos comportamentos pode não ser uma boa ideia a longo prazo. Precisamos dar limites aos nossos filhos, mas jamais impedi-los de questionar e expressar as suas opiniões.

Trate o seu filho como se fosse capaz de se controlar

É preciso criar condições para a criança desenvolver determinadas competências. Uma forma de fazer isso é valorizando a sua inteligência. Por exemplo, se o seu filho agarrar em todos os brinquedos da prateleira e os espalhar pelo quarto, converse e mostre tranquilamente como guardá-los no lugar certo.

Olhe nos olhos da criança, demonstre que confia na sua capacidade e incentive para que não tenha medo do fracasso — isso, certamente, vai colaborar para a tornar num adulto mais confianteAjude-a também a compreender e controlar as próprias emoções de maneira calma e sábia, pois isso é indispensável no mercado de trabalho. Veja como fazer isso:

  • proporcione um ambiente de livre expressão;
  • valorize tentativas, dedicação e esforços, e não apenas talentos;
  • dê oportunidade para o seu filho expressar e lidar com tristezas, frustrações e raiva.
Deixe a criança brincar

Essa dica pode parecer um cliché, mas as crianças precisam de brincar porque as brincadeiras estimulam o desenvolvimento e a criatividade, permitem a expressão de sentimentos e ideias e reflectem a forma dos maus pequenos verem o mundo.

Por meio das actividades lúdicas são desenvolvidos aspectos físico, social, cultural, emocional, afectivo e cognitivo no seu filho. Além disso, é através das brincadeiras que crianças passam a compreender regras e desenvolvem melhor a concentração.

Escolha os brinquedos certos

O brinquedo certo é didáctico e ajuda a desenvolver o raciocínio lógico da criança. É necessário, então, largar ideias ultrapassadas, como “as meninas só brincam com bonecas e cozinhas, enquanto os meninos brincam com carrinhos”.

Para bebés, sugerimos brinquedos com formas e volumes coloridos, que possam ser movimentados e levados à boca. Já para crianças acima de 5 anos, prefira jogos com regras e colectivos para as induzir a reflectir sobre os colegas à sua volta e desenvolver competências interpessoais.

Incentive a tecnologia

Não ha forma de preparar o seu filho para o futuro sem incentivar o uso da tecnologia, afinal, ela está em todo lado  e traz inúmeros benefícios para o desenvolvimento. Portanto, proibir o contacto com os dispositivos digitais está longe de ser uma boa ideia.

Além de preparar crianças e jovens para um futuro digital e para um mercado de trabalho dominado pela tecnologia, essa ferramenta traz novas formas de estudar, desperta o interesse por novos conhecimentos e melhora a capacidade de aprendizagem e de concentração.

Finalmente, algumas actividades tecnológicas, como a programação para crianças e adolescentes, além de serem muito educativas, ajudam a desenvolver as principais competências do século XXI, e isso contribuirá significativamente para a carreira do seu filho.

 

Sobre a Happy Code

A Happy Code é uma escola de programação, tendo como missão formar pensadores e criadores do século XXI. Com uma metodologia de ensino baseada no conceito STEAM (“Science, Technology, Engineering, Arts and Math”), os cursos lecionados incidem sobre a programação de computadores, desenvolvimento de jogos e aplicações, robótica com drones, bem como produção e edição de vídeos para o YouTube.

Tendo como premissa de atuação os valores da responsabilidade, da confiança, da inovação e da consciência social, a Happy Code leciona os seus cursos em centros próprios ou em escolas, empresas, municípios, projetos sociais, centros de estudo, ATLs, entre outros, estando já presente em várias zonas de Portugal.

0 Comentários

Deixe um comentário

gtag('config', 'AW-868132947');