Todas as nossas atividades podem ser presenciais ou online. INSCREVE-TE AQUI!
Home / Happy Blog / Disrupção na Educação: a Happy Code cria Curriculum as a Service para as escolas

Disrupção na Educação: a Happy Code cria Curriculum as a Service para as escolas

Em tempos de inovações tecnológicas profundas como o atual, o modelo escolar que conhecemos torna-se cada vez mais obsoleto. Promover a disrupção na educação, a partir de mudanças significativas nas formas de aprender e ensinar, é um grande desafio do século XXI. Uma das chaves desse processo é a melhoria dos currículos escolares.

São eles que determinam as atividades pedagógicas cumpridas pelas instituições de ensino. Integrados nas ferramentas digitais, podem ser muito mais efetivos na produção do conhecimento. Atenta a esta questão, a Happy Code criou uma plataforma de Curriculum as a Service (Currículo como Serviço).

Esta inovação ajuda as escolas a flexibilizar as aulas e a envolver os alunos na procura pelo saber. Neste artigo, vamos apresentar os paradigmas que devem ser alterados na educação, além de mostrar como o currículo da Happy Code contribui para essa transição. Boa leitura!

O que é a disrupção na educação?

Todas as tecnologias digitais têm em comum o enorme potencial de transformar os modelos tradicionais de realização de processos. Considerando este ponto de convergência, uma inovação disruptiva é aquela que dá origem a formas de trabalho muito mais eficientes do que as anteriores.

Por isso, ferramentas mais simples, baratas e sustentáveis conquistam o seu espaço e, aos poucos, deixam para trás os modos convencionais de cada atividade. No âmbito educacional, a necessidade de implementar inovações no ensino é muito grande.

A sala de aula continua a funcionar de uma forma padronizada e tradicional, sem mudanças relevantes em muitos pontos. Apresentamos alguns exemplos:

· Aulas de 45 ou 50 minutos de duração.

· Número de alunos (entre 30 e 40).

· Disciplinas separadas (química, biologia, matemática, etc.).

· Aulas maioritariamente expositivas.

· Testes avaliados por notas. Apesar de urgente, a reformulação dos modelos de ensino e de aprendizagem não pode ser feita automaticamente. Neste sentido, a formação e a consciencialização dos professores e da direção ajudam os alunos a terem uma formação integral em tecnologia.

Como ocorre a inovação disruptiva no ensino?

Repensar os processos pedagógicos das escolas é fundamental para formar pessoas capazes de participar ativamente na sociedade. Ao utilizar a tecnologia na sala de aula, os professores atuam de forma mais precisa na criação de conhecimento e os alunos reconhecem-se como importantes no processo.

Papel do professor

Numa sala de aula convencional, o professor é o principal emissor dos conteúdos. Por outro lado, o aluno adota uma postura mais passiva, de recetor das mensagens. Quando o foco das aulas é a aprendizagem dos conceitos por trás das ferramentas tecnológicas, a situação inverte-se.

O aluno é estimulado a experimentar os conceitos recebidos, realizando atividades práticas, como o desenvolvimento de jogos. O professor passa a ser um mentor, que acompanha de perto os movimentos do grupo. A sua função é a de fazer perguntas inteligentes, que levem os estudantes a procurar soluções para as dúvidas e para os problemas.

Ensino personalizado

Cada aluno tem as suas próprias necessidades, dificuldades e aptidões. Assim sendo, faz sentido que cada um seja tratado e acompanhado de forma personalizada, não acha? Alguns recursos tecnológicos permitem que os conteúdos sejam distribuídos de acordo com a evolução individual dos alunos.

Existem ferramentas no mercado que permitem que eles sigam o próprio ritmo de aprendizagem, de acordo com as respostas que dão aos desafios apresentados. Também é possível que tenham acesso a conteúdos extras ou de apoio.

Disponibilizados de forma digital e com a orientação do professor — ou melhor, do mentor —, os conteúdos também podem ser criados para alunos com deficiência, por exemplo, ou para aqueles que enfrentam dificuldades com determinados temas e que queiram aprender mais.

Desenvolvimento de competências

Outro aspeto importante é o trabalho das aptidões do século XXI. Alguns exemplos são: · Pensamento crítico.

· Criatividade.

· Ações orientadas para soluções.

· Comunicação.

· Colaboração.

Experimentar a tecnologia estimula os alunos a praticarem estas competências desde a infância. Tendo em conta o aumento da competitividade do mercado de trabalho, o desenvolvimento destas competências é um grande benefício.

Como o Curriculum as a Service promove uma educação disruptiva?

Agora que já viu as caraterísticas de uma educação disruptiva, saiba como a Happy Code está um passo à frente em tudo o que existe de mais inovador no ensino. O nosso grande fator diferenciador, o Curriculum as a Service, apresenta muitas vantagens. Fique a conhecê-las!

Dinamismo

Em termos de transformação do ensino, o currículo escolar é uma peça crucial do quebra-cabeças. Afinal, ele contém o programa de disciplinas trabalhadas com os alunos ao longo do ano letivo. No modelo tradicional, o currículo é elaborado e permite pouca flexibilidade de alteração ao longo do ano.

As disciplinas são necessárias, porém, de acordo com avaliações e necessidades. Ao oferecer o currículo como um serviço e não como um produto, a Happy Code permite que as escolas escolham o conteúdo que desejam oferecer para um determinado período e num determinado momento do ano e que incluam temas relacionados com a tecnologia nos seus planos. Neste caso, os módulos de conteúdo ficam disponíveis 24 horas por dia e 7 dias por semana para as instituições de ensino.

Tecnologia

Através de uma única plataforma, a escola tem acesso a todos os módulos produzidos pela Happy Code no modelo STEAM (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática).

Assim, o processo de aprendizagem torna-se totalmente digital. Isto permite que as escolas distribuam os conteúdos de forma flexível e rápida, adaptando-se às necessidades de cada aluno. Quem falta a uma aula pode aceder virtualmente para ler os materiais que foram abordados, por exemplo.

Autonomia

Caso uma turma específica do 4.º ano tenha dificuldades com temas de Robótica, por exemplo, o professor pode escolher um módulo específico do curso para transmitir à turma. Ao mesmo tempo, um aluno interessado em Desenvolvimento de Jogos 2D consegue aceder facilmente a um dos materiais do curso, a qualquer momento, inclusive pelo telemóvel.

A plataforma permite que as escolas e os alunos tenham autonomia total. Por ser armazenado na nuvem, o currículo escolar da Happy Code funciona como um organismo vivo. Os módulos podem ser adaptados ao longo do tempo e consumidos de forma customizada, de acordo com as necessidades pedagógicas da escola.

Depois de conhecer tantos recursos, já sabe que o currículo da Happy Code é um grande exemplo de disrupção na educação, não é? As metodologias empregadas e a flexibilidade no plano de cursos vão de encontro ao que existe de mais inovador no ensino.

0 comments

Leave a comment