Todas as nossas atividades podem ser presenciais ou online. INSCREVE-TE AQUI!
Home / Happy Blog / Saiba o que são campos de experiência na educação infantil e como são trabalhados

Saiba o que são campos de experiência na educação infantil e como são trabalhados

O Currículo Nacional serve de referência para as instituições de ensino desenvolverem ações com os alunos de diferentes faixas etárias. Atualmente, a educação infantil tem uma contribuição relevante na formação intelectual das crianças, que precisam de ser estimuladas para adquirir conhecimento e compreender o que acontece à sua volta.

Esta fase tem um papel muito importante para os alunos não só se divertirem, mas também terem mais condições para desenvolverem a fala, a escrita e a coordenação motora. À medida que as crianças aprendem novas competências, mais integradas estarão no ambiente escolar e na sociedade.

Neste artigo, mostraremos como os campos de experiência na educação infantil podem ser trabalhados para fortalecer a aprendizagem. Boa leitura!

Saiba como estão organizados os campos de experiência na educação infantil

Vamos apresentar os campos de experiência apontando as caraterísticas de cada um.

O eu, o outro e o nós

Trabalha com as experiências que envolvem a identidade e a subjetividade. O foco é o desenvolvimento social e pessoal da criança. São analisadas as formas como se relaciona consigo mesmo e com os outros (professores, pais, colegas de turma).

Este período tem uma grande influência na personalidade da pessoa, porque contribui para o início do autoconhecimento e da capacidade de respeitar o outro. Conviver com as diferenças é imprescindível para o cidadão compreender as diferentes formas de comportamento e de pensamento presentes na sociedade.

A escola, nesta fase, deve ajudar a criança a ter uma imagem positiva de si. Além disso, tem de fazer com que ela obtenha autoconfiança para ultrapassar os obstáculos e as dificuldades no início da infância. É possível trabalhar com a

gravação de vídeos curtos em que as crianças prestam depoimentos sobre a sua vida e as ações feitas na sala de aula.

Corpo, gestos, movimentos

Dos campos de experiência na educação infantil, este carateriza-se por estimular bastante as crianças. Isto porque elas passam a relacionar-se melhor com o corpo através de brincadeiras e de outras atividades desenvolvidas na escola.

Neste campo, a coordenação motora é bastante priorizada através da música, dança e teatro. Este trabalho é feito para o aluno conhecer melhor o corpo e ter noções de posicionamento (frente, atrás, dentro, fora, etc.).

É importante fazer com que a criança reconheça os limites do próprio corpo para cuidar mais de si. Desta forma, ela tem mais condições de evitar quedas e outros acidentes em casa ou na escola.

Traços, sons, cores e formas

As atividades deste campo destacam a experiência dos alunos com os diferentes movimentos artísticos, científicos e culturais. Também incluem um contacto mais próximo com a música e a linguagem visual.

Além de dar importância à escuta, os trabalhos são dirigidos para aumentar o repertório musical e fazer com que a criança desenvolva o sentido crítico para escolher os estilos musicais que mais lhe despertam o interesse.

Os alunos passam a conviver mais com instrumentos musicais e canções tradicionais de festas populares. Também são promovidas iniciativas para conhecerem manifestações culturais relacionadas com o campo visual, tais como:

· Desenho.

· Fotografia.

· Pintura.

· Escultura.

· Modelagem.

Para despertar a criatividade, as escolas podem promover iniciativas em que as crianças produzam sons com o próprio corpo ou com objetos à sua volta. Isto vai ajudá-las a diferenciar facilmente os sons agradáveis daqueles que as incomodam.

A tecnologia também pode ajudar. Com tablets os alunos podem praticar o desenho através de aplicações específicas. Na Internet, também estão disponíveis músicas que fazem a alegria das crianças.

Escuta, fala, pensamento e imaginação De todos os campos de experiência na educação infantil, este mostra como a linguagem oral é indispensável para a boa convivência e a compreensão de tudo o que acontece à volta. As crianças são estimuladas a conversar sobre as histórias contadas na sala de aula e a participar em iniciativas (cantigas de roda e jogos cantados), em que a oralidade tem uma grande influência na dinâmica.

Através da leitura de livros, os alunos passam a ter contacto com diversos personagens em vários contextos. Isto contribui para desenvolver atividades relacionadas com a imaginação, como criar uma pequena história a partir do que foi trabalhado na sala de aula.

Assim, o aluno trabalha a criatividade ao visualizar novos personagens e até a criar um final diferente para a obra. Elaborar novos cenários e pensar nas emoções que uma história provoca são fatores essenciais para a criança desenvolver a capacidade de raciocínio.

Dependendo do nível de aprendizagem da turma, o professor pode pedir para os alunos escreverem e lerem uma nova história. Esta atividade vai estimular não apenas a criatividade, mas também a partilha de experiências.

Atualmente, há muitos livros digitais à disposição. As escolas podem incentivar a leitura em casa. Desta forma, os pais podem no telemóvel ou no tablet contar uma história para os filhos e interagir com eles. Este processo contribui bastante para a aprendizagem e para a formação de novos leitores.

Espaço, tempo, quantidades, relações e transformações

As iniciativas estão direcionadas para criar uma ideia de espaço (perto, longe, etc.) e uma maior compreensão do movimento corporal (para frente, para trás, etc.). Há também um incentivo para as crianças terem uma maior perceção de tempo (dia, noite e estação do ano).

Neste campo, as escolas abordam a questão cronológica das atividades, mostrando o significado de termos como ontem, hoje, amanhã, entre outros. Este processo tem como objetivo fazer com que as crianças compreendam a sequência de factos relacionados com a sua vida.

Além disso, ajuda para que tenham uma melhor noção de rotina. Por exemplo, uma família cria um calendário de ações que o aluno realiza durante a semana.

De segunda a sexta-feira, a criança tem de se despachar até as 12 horas para ir para escola. No final de semana, ela pode almoçar até as 13 horas. Fazer com que os alunos tenham consciência de organização temporal vai ajudá-los a desenvolver as tarefas com mais tranquilidade.

Mudanças A questão do tempo é trabalhada para mostrar que a sociedade passou por muitas mudanças ao longo da história. Esta iniciativa pode ser feita explicando como as pessoas faziam para se comunicar antes da Internet ou mostrando como o ser humano se movia quando não existia o carro nem o avião.

Neste campo, também existe um incentivo para compreender as operações matemáticas. Isto permite que o aluno compreenda, por exemplo, o número de

cartas necessárias para participar num jogo e como pode dividir os brinquedos com os amigos.

Saiba a importância da tecnologia no desenvolvimento destas competências

Vale a pena apresentar um vídeo no YouTube que mostre como fazer desenhos bonitos? É interessante usar uma aplicação para dispositivos móveis com exercícios para a criança conhecer novas palavras em português e em inglês?

Com certeza, a resposta é sim. O avanço tecnológico deve fazer parte, também, da aprendizagem do aluno. Se a escola não estiver conetada com a realidade digital, não será um local atraente para os estudantes.

Com planeamento e criatividade, as escolas podem desenvolver projetos interessantes com base nas caraterísticas dos campos de experiência na educação infantil. O mais importante é possibilitar que as crianças tenham uma aprendizagem consistente, voltada para a formação do sentido crítico e a capacidade de se relacionar com o outro.

0 comments

Leave a comment