Todas as nossas atividades podem ser presenciais ou online. INSCREVE-TE AQUI!
Accueil / Happy Blog / Afinal, como fazer uma proposta pedagógica de forma revolucionária?

Afinal, como fazer uma proposta pedagógica de forma revolucionária?

Uma das maiores dificuldades dos gestores da área de educação é, sem dúvida, saber como fazer uma proposta pedagógica realmente eficiente e inclusiva. Este projeto é fundamental não só para alinhar os métodos educacionais utilizados, mas também para a captação e fidelização de alunos, além da melhor colocação da escola no mercado como referência.

No entanto, para que isto seja feito de forma adequada, é preciso saber exatamente o que é uma proposta pedagógica, quais são os seus fundamentos e como funciona na prática. Só assim a sua implementação será feita de forma completa e poderá ter um efeito positivo nos estudantes e na equipa.

Gostaria de saber mais sobre propostas pedagógicas, o seu funcionamento e, claro, formas de revolucioná-la e adequá-la às exigências do século XXI? Continue a leitura e aprenda informações preciosas sobre o assunto, além de tirar algumas dúvidas sobre o tema!

O que é uma proposta pedagógica?

De certo modo, podemos dizer que a proposta pedagógica funciona como a “identidade” de uma instituição de ensino. É a apresentação da escola para os potenciais clientes, mostrando quais são os principais pontos da sua “personalidade” (valores ensinados, intimidade com inovações, entre outros) e da sua metodologia de ensino.

A proposta pedagógica da escola está prevista nos regulamentos oficiais do Ministério da Educação e tem como uma de suas funções a flexibilização da gestão das escolas, fornecendo uma certa independência dentro de alguns limites. Por isso, uma instituição é livre para optar pela metodologia que melhor combina com a sua proposta, por exemplo, desde que as regras do currículo comum nacional sejam seguidas e englobadas no processo.

Vale a pena lembrar que essas regras dizem respeito também a fatores sociais importantes e não só às disciplinas que os alunos precisam de ter no seu dia-a-dia. Por isso, a proposta pedagógica tem uma certa autonomia, mas precisa de abraçar

as exigências sociais para estar, de certa maneira, padronizada e alinhada com os padrões nacionais.

Por que razão as propostas pedagógicas são tão importantes?

Para a escola, a proposta pedagógica funciona como um cartão-de-visita da instituição e, claro, como o manual de funcionamento. É através desse grupo de atividades que nos poderemos guiar na gestão escolar, atendendo ao que é realmente necessário para toda a equipa e para os alunos.

Além disso, a proposta em si tem uma grande importância social. Está voltada para o desenvolvimento intelectual, educacional e social dos estudantes. Por exemplo, uma escola localizada num ambiente no qual os estudantes não têm a oportunidade de fazer aulas particulares de idiomas pode implementar este tipo de atividade no período fora do horário das aulas, qualificando o corpo discente.

Por isso, a proposta pedagógica é fundamental para garantir o funcionamento da instituição de ensino, atuando como um modelo de inspiração para a promoção de atividades. Além disso, é essencial para garantir a identidade da escola, captando novos alunos.

De que forma a proposta pedagógica pode ser feita com eficiência?

O primeiro passo para uma promoção eficiente de uma proposta pedagógica é promover a inclusão de espaços para a discussão. Esta troca de ideias, através de um debate saudável, deve incluir tanto a equipa de funcionários da escola como os pais e responsáveis dos estudantes (além, evidentemente, dos próprios alunos).

A partir dos dados recolhidos e das opiniões de todos, é possível desenvolver e melhorar a proposta de modo a incluir atividades que abranjam as exigências do

plano curricular oficial e também as requisições das pessoas envolvidas nos processos. É sempre necessário ter em consideração aquilo de que os alunos realmente precisam.

Além disso, é fundamental afirmar que a proposta não é algo fixo e determinado, ou seja, ela está passível de mudanças ao longo do tempo. Estipule um prazo para que essa revisão seja feita. Nas revisões, podem ser utilizados os dados obtidos pela implementação das atividades, assim como os resultados e as consequências dessas medidas.

Como podemos revolucionar a prática com o uso da tecnologia?

Já conseguimos perceber que a proposta pedagógica é uma estratégia que visa garantir o funcionamento da escola em sinergia com as diretrizes do plano curricular oficial, certo? Então, como e por que razão deve incluir a tecnologia neste contexto?

O uso de tecnologia na educação é algo extremamente vantajoso, especialmente quando falamos sobre a qualificação dos estudantes para o mercado de trabalho, e como prevenção de problemas comuns, como o abandono escolar. Investir em tecnologia aproxima os estudantes do ensino e torna-os muito mais empenhados e abertos ao conhecimento.

Além disso, trabalhar com inovações e novas metodologias é algo fundamental para atuar como fator diferenciador e competitivo. Assim, a sua instituição de ensino pode destacar-se fortemente no meio da concorrência, aumentando simultaneamente a captação e a retenção de alunos.

Quais são metodologias que fazem parte de uma proposta revolucionária?

Para concluirmos este assunto, que tal discutirmos um pouco sobre algumas metodologias que podem fazer toda a diferença na altura da implementação de uma proposta pedagógica realmente inovadora no ambiente escolar? Com a ajuda de métodos específicos, é muito mais fácil fazer essa transição de forma gradual e eficiente.

Além da metodologia LET, que é voltada para a literacia digital (e, portanto, indispensável neste tipo de contexto), podemos mencionar os incríveis métodos de aprendizagem ativa conhecidos como STEM e STEAM (Science, Technology, Engineering, Arts and Math, ou em português, Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática).

O principal objetivo destas metodologias é trabalhar simultaneamente o desenvolvimento de competências fundamentais para a vida em sociedade e para o mercado de trabalho e, claro, as disciplinas do currículo comum. A tecnologia é utilizada como uma ponte para unir os dois polos, fazendo com que eles interajam e se interliguem em harmonia.

Com estes métodos, é possível trabalhar competências como a autonomia, a empatia, a resolução de problemas e a capacidade lógica dos estudantes, além de os deixar muito mais interessados no estudo devido à mudança na dinâmica da sala de aula. Desta forma, todos ficam a ganhar, e a escola inovadora passa a ser uma grande referência no assunto!

0 commentaires

Laisser un commentaire: