Todas as nossas atividades podem ser presenciais ou online. INSCREVE-TE AQUI!

O que pode a escola fazer para aumentar as aprovações nos exames?

Há pouco tempo, entrar numa boa universidade era uma realidade para poucos. No entanto, hoje em dia as faculdades estão muito mais inclusivas, e as pessoas de todo o país podem ter acesso a uma boa educação de ensino superior. Por isso, é responsabilidade da escola fornecer todas as ferramentas necessárias para contribuir para as aprovações nos exames dos seus estudantes.

Mas embora a entrada nos cursos se tenha tornado mais simples, também se tornou muito mais concorrida. Neste contexto, os alunos melhor preparados são aqueles que ficam à frente nos concursos, destacando-se graças a fatores diferenciadores que vão muito além do conteúdo trabalhado na sala de aula.

Afinal, de que forma as escolas podem ajudar os seus alunos e fornecer-lhes todo o conhecimento necessário para se saírem bem nos exames? A seguir, veremos algumas dicas importantes para tornar isso possível. Boa leitura!

Formar o corpo docente

Infelizmente, o modelo educacional atual é um pouco rígido e muito focado em ideias antiquadas e ultrapassadas. Portanto, o primeiro passo para fazer com que os alunos da sua instituição obtenham o sucesso nos exames é formar o corpo docente de forma adequada, integrando-os nas metodologias aplicadas e tornando-os aptos a colocarem a teoria em prática.

A tendência é que, cada vez mais, as mudanças no sistema educacional ocorram, com o propósito de tornar o ensino mais abrangente e formar os alunos para o que os esperam no mundo exterior. Os avanços tecnológicos, por exemplo, não param e é necessário preparar os professores para se manterem atualizados e transmitirem esses conhecimentos nas salas de aula.

Investir num bom diálogo com os pais e responsáveis

A participação da família dos alunos é fundamental para o sucesso nos estudos e também nas aprovações nos exames. Por isso, estimular o diálogo entre os

responsáveis e a escola é fundamental para que o conteúdo não seja visto apenas na sala de aula, mas também trabalhado nos períodos em que o estudante está em casa.

Os responsáveis podem ajudar de várias maneiras, começando pela participação ativa e pelo envolvimento nas questões escolares. Além disso, podem ajudar ao fornecer um bom ambiente de estudos em casa e com a realização de passeios educativos, juntando o tempo em família com a utilização da metodologia imersiva utilizada na escola.

Fornecer simulações dos exames

Como sabemos, os exames são feitos a partir de modelos estabelecidos a nível nacional. Além disso, a maioria das entradas nas universidades e politécnicos é feita a partir do Exame Nacional, exame que também segue um padrão determinado de perguntas e respostas.

Por isso, é responsabilidade da escola oferecer simulações dos exames para que os alunos se preparem. São provas que simulam os exames e são essenciais para deixar os estudantes mais confortáveis (física e emocionalmente) para o grande momento, não cedendo, no momento do teste, ao cansaço e nervosismo.

Realizar um bom acompanhamento dos estudantes

O acompanhamento periódico também é crucial para garantir que as aprovações nos exames sejam uma realidade. A preparação deve começar o quanto antes, e é fundamental fazer testes frequentes que avaliam o progresso dos jovens no conteúdo para saber exatamente quais são os seus pontos fortes e fracos naquele momento.

Além disso, é importante testar os conhecimentos de formas diferentes, que sejam uma alternativa às provas comuns. Fazê-los entrar em contacto com os conteúdos de outras formas (como em visitas de estudo, por exemplo) é uma ótima maneira de ajudá-los a assimilar as informações e pode ser muito útil na altura do exame.

Levar conteúdos atuais para o dia-a-dia escolar

Precisamos, sem dúvida, de compreender o passado para mudar o futuro da nossa sociedade. No entanto, também é necessário discutir o que está a acontecer no mundo neste momento e como isso tem influência no futuro (além de, obviamente, fazer uma relação com os elementos que já passaram pela nossa história).

Boa parte do conteúdo e da forma como ensinamos é muito voltada para o que já aconteceu. Os exames mais concorridos, por sua vez, abordam assuntos que são do nosso quotidiano. Por isso, levar para a sala de aula conteúdos atuais é fundamental para que os estudantes tenham bons resultados nos concursos.

Investir em aulas de educação artística

Muitas escolas focam apenas nos conteúdos dados na sala de aula e esquecem-se da importância da arte na formação académica dos seus estudantes. Para evitar este tipo de erro e levar um fator diferenciador para a sua instituição, investir em atividades extracurriculares pode ser uma boa alternativa. E, para além disso, pode contribuir positivamente para o resultado no exame.

Isto porque muitos exames têm conteúdos relacionados com os períodos artísticos, além de exigirem uma sensibilidade maior dos candidatos para responderem às questões. Outro ponto importante é o facto de que algumas aulas, como o teatro, desenvolvem fortemente o sentido crítico e o pensamento lógico, além de auxiliar em matérias como a composição de texto.

Insistir nas aulas de interpretação de problemas

A interpretação de textos e de problemas está entre uma das principais competências que devem ser desenvolvidas para quem quer passar nos exames. Por isso, estimular o desenvolvimento cognitivo, o raciocínio lógico e a interpretação ajuda muito na resolução rápida e efetiva das questões. Investir em novas metodologias e incentivar o trabalho em equipa são boas formas de estimular a interpretação adequada dos conteúdos. Colocar os alunos a pensar juntos é incrível, porque a nossa capacidade de compreensão é muito diferente — e, assim, um colega pode ajudar o outro a compreender aquilo que não está tão claro.

Incluir aulas de tecnologia no plano curricular Incluir a tecnologia na educação é um ponto fundamental para garantir que os alunos se deem bem nos exames e nas suas vidas profissionais no futuro. A utilização de metodologias como a STEAM é uma ótima forma de garantir que a literacia digital ocorre em simultâneo com os conteúdos do currículo tradicional.

Nas aulas de tecnologia — como de empreendedorismo ou desenvolvimento de jogos —, os alunos entram em contacto com temas atuais e importantes, além de multidisciplinares. É possível, por exemplo, desenvolver um jogo sobre a diabetes ou a obesidade infantil e fazer uma relação entre todos os temas de biologia, geografia e tecnologia.

Trabalhar a inteligência emocional dos alunos

Por fim, nem tudo o que importa diz exclusivamente respeito aos assuntos tratados na sala de aula. Embora dominar as matérias e fazer inúmeros exercícios seja muito

importante, estar preparado emocionalmente é uma das chaves do sucesso — inclusive, e principalmente, quando o resultado não é o esperado.

Preparar e ajudar os alunos a amadurecerem emocionalmente é fundamental para evitar problemas sérios, como a depressão e a ansiedade, e fazer, também, com que eles não desistam, caso não se deem bem na primeira tentativa. Por isso, conferências, sessões de conversa e um bom acompanhamento psicológico são essenciais nesta etapa.

Como podemos ver, a escola é parte fundamental do sucesso na altura de aumentar as chances de aprovações nos exames dos estudantes. Quando a instituição de ensino trabalha em conjunto com os familiares e com o próprio aluno, todos os âmbitos da vida são desenvolvidos simultaneamente — e os resultados nos exames são muito melhores!

0 translation missing: fr.blogs.article_item.comment_count

translation missing: fr.blogs.article_item.leave_comment