Todas as nossas atividades podem ser presenciais ou online. INSCREVE-TE AQUI!
Accueil / Happy Blog / Tecnologia na escola: como torna a instituição mais atrativa

Tecnologia na escola: como torna a instituição mais atrativa

Até 2030, de acordo com um estudo do SESI e SENAI, o ecossistema educacional terá uma ampla inserção de tecnologia na escola, sendo que a tendência é ter aulas cada vez mais voltadas para metodologias diferenciadas de aprendizagem.

Tendo isto em vista, muitas instituições de ensino estão a adaptar a sua infraestrutura e a adequar-se à modernidade. No entanto, a questão que se levanta é: afinal, como pode a tecnologia tornar a escola mais atrativa? Para que tenha uma administração escolar de qualidade e não fique atrás da concorrência, apresentamos algumas das principais razões que fazem a tecnologia transformar a escola numa referência de aprendizagem. Boa leitura!

Apresenta novos conceitos educacionais

Um dos pilares que permeia uma nova tecnologia é a quebra de paradigmas, de propor algo diferente do que habitualmente é vivido e de solucionar um determinado problema de forma mais simples. A política da cultura da inovação é fundamental para o avanço da escola, tendo como propósito procurar as melhores parcerias e desenvolver os alunos em cada ano letivo.

A presença da tecnologia na sala de aula é um incentivo para introduzir novos conceitos educacionais, a fim de criar uma disrupção no meio tradicional e fazer com que a aula flua muito melhor. A metodologia STEM, por exemplo, que utiliza as áreas da Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, torna-se numa ferramenta certeira para aumentar os conhecimentos tanto dos professores como dos alunos.

Dá motivação aos alunos

Se já se viu com sérios problemas de compreender os indicadores escolares e perceber o motivo real de tanto abandono escolar de alunos, provavelmente não reparou na relação que a tecnologia tem com esses índices. As novas gerações não

gostam de perder tempo e, infelizmente, o método tradicional de ensino já não capta a atenção dos jovens.

Sabendo que é preciso mudar alguns conceitos básicos e gerar uma coparticipação entre alunos e professores, nada melhor do que dispor de recursos tecnológicos para promover de facto uma aula interativa. Para se ter uma ideia, métodos que envolvem a gamificação acabam por envolver mais o público infanto-juvenil e contribuem para uma assimilação completa das matérias.

Facilita a integração

Quando uma aula tem um aspeto aborrecido — na qual o educador fica horas só a falar — a tendência é que os alunos não tenham espaço para participar verdadeiramente e isso pode gerar comportamentos introspetivos. Na turma, vale a pena remodelar a forma como é conduzida a explicação do conteúdo, porque os alunos só aprenderão se compreenderem alguns conceitos na prática.

A tecnologia é capaz de quebrar essa barreira social e fazer com que os alunos interajam mais entre si e com os professores, tendo o objetivo de solucionar propostas problemáticas e aprender o quanto é importante o trabalho em grupo. Além disso, a tecnologia pode auxiliar na acessibilidade na escola através de aplicações, equipamentos adaptáveis, softwares customizados e assim por diante.

Melhora a imagem da marca

Muitos gestores de instituições de ensino não pensam na escola como uma empresa, que necessita não só de bons recursos financeiros, mas de um marketing eficiente para atrair o público-alvo e aumentar o volume de matrículas. Para alcançar estes objetivos e estar um passo à frente da concorrência, é indispensável procurar soluções que gerem valor.

Ao criar uma rutura no método tradicional de educação e pensar que uma boa aula precisa de ser uma experiência de ensino, maiores são as chances de conquistar a

atenção dos pais para matricularem os seus filhos. Uma instituição que se está sempre a atualizar e que prefere contar com o que há de melhor no mercado mostra que valoriza não apenas a aprendizagem, mas também as pessoas envolvidas no processo.

Potencializa os resultados de aprendizagem

Há que admitir que, quando a metodologia de ensino não permite que os alunos aprendam as matérias de facto, a tendência é que isso se reflita drasticamente nas notas e faça com que o índice de reprovação seja alto, não é? Para que o conteúdo seja entregue na sua plenitude e a matéria assimilada por todos, têm de ser tidos em consideração vários fatores. Muitos alunos têm dificuldades de concentração, bloqueios de aprendizagem ou preferem isolar-se por acharem que a matéria é difícil. No entanto, ao trazer algo de novo para o dia-a-dia das aulas, torna-se muito mais simples manter os jovens focados em cada ponto relevante do conteúdo e, com isso, absorverem o que é dito pelos professores.

Aumenta as competências profissionais

Hoje em dia, não basta os professores apresentarem excelentes credenciais, dominarem os conteúdos referentes às disciplinas e não terem a mínima aptidão para lidar com a tecnologia na escola. Esta é uma das primeiras competências a serem observadas na contratação, porque lidar com as novas tendências de mercado é essencial para propor métodos de aprendizagem eficientes.

Os educadores que têm o privilégio de conduzir as aulas com o auxílio da tecnologia conseguem adquirir muitas aptidões e, com isso, estimular os jovens a saírem do modelo tradicional e a serem inovadores. Para o currículo dos professores, essa experiência enriquece, e muito, porque prepara os profissionais para ensinarem

em quaisquer circunstâncias e a terem um melhor raciocínio para resolver problemas.

Gera visão de futuro Outro aspeto que não pode deixar passar é a questão da educação empreendedora, ou seja, preparar os estudantes para, além de bons resultados, desenvolverem novas competências. Plantar a semente de que os jovens podem melhorar as suas competências e imaginarem um futuro promissor é algo que, de forma geral, promove uma melhoria no nível de ensino.

Atualmente, muitas pessoas que procuram emprego não sabem quais são as suas competências e, devido a isso, a rotatividade nas empresas é sempre a mesma, porque ninguém consegue identificar-se de facto com as funções que exerce. No entanto, quando há um pensamento voltado para o espírito empreendedor desde a infância, a tendência é que a escola forme jovens preparados para serem excelentes profissionais.

Ao utilizar a tecnologia na escola e o máximo de metodologias de ensino voltadas para trabalhar nesse nicho, a probabilidade de atrair o público-alvo será muito maior. Como resultado, a instituição pode conquistar um bom espaço no mercado educacional.