Todas as nossas atividades podem ser presenciais ou online. INSCREVE-TE AQUI!

Como estimular o raciocínio lógico com a tecnologia na escola

Entre as várias competências que as crianças e os adolescentes precisam de desenvolver está o raciocínio lógico. Esta é uma das mais importantes porque estimula outras e permite que a pessoa tenha a capacidade de traçar estratégias e resolver problemas.

Este tipo de raciocínio está relacionado com o pensamento abstrato, que começa a manifestar-se à medida que a criança amadurece. Para isso ela precisa de vários estímulos, e a escola pode contribuir de forma significativa neste sentido utilizando diferentes recursos, como, por exemplo, a tecnologia.

A tecnologia é uma grande aliada no processo da formação dos alunos que permite melhorar a sua aprendizagem. Por isso, preparamos este artigo para mostrar como pode estimular o raciocínio lógico dos alunos utilizando recursos tecnológicos na sua escola. Continue a ler para descobrir!

O que é o raciocínio lógico?

O raciocínio lógico é a capacidade que a pessoa tem de organizar as suas ideias e os pensamentos de modo a encontrar uma solução para um desafio ou problema. Baseia-se em evidências ou analisa as situações de uma forma crítica para chegar a uma determinada conclusão.

Existem diferentes tipos de raciocínio lógico. Cada um deles segue uma determinada linha de pensamento, analisando as situações sobre ângulos diferentes. Mas isto não significa que um seja mais adequado do que o outro, porque todos permitem chegar a um resultado. São os raciocínios por dedução, indução e abdução.

Dedução

O raciocínio lógico por dedução costuma estar associado ao raciocínio lógico matemático. Isto porque ele chega a um determinado resultado ou conclusão em função de uma probabilidade evidente. Desta forma, segue uma determinada regra e a sua premissa para concluir algo. Por exemplo:

Quando o carteiro passa, o meu cão ladra. O meu cão ladrou, por isso, o carteiro já passou.

Indução

No caso do raciocínio lógico indutivo, a pessoa determina uma regra. Para isso, utiliza um raciocínio analítico e crítico observando os diversos exemplos de como uma determinada situação leva sempre a outra. Ou seja, a conclusão segue a premissa. É comum os cientistas utilizarem este tipo de raciocínio. Por exemplo:

Todas as vezes que o meu cão ladrou, o carteiro estava a passar. Então, se o meu cão está a ladrar, é porque o carteiro está a passar.

Abdução

No raciocínio lógico por abdução, a pessoa determina a premissa. Este tipo de raciocínio está relacionado com detetives e peritos em diagnóstico. Neste caso, a conclusão e a regra servem como base para defender uma determinada premissa, que explica por que razão se chegou àquela conclusão. Por exemplo:

Sempre que o carteiro passa o meu cão ladra. O meu cão está a ladrar, então, o carteiro deve estar a passar.

Como viu, estes diferentes tipos de raciocínio lógico ajudam a responder a uma determinada pergunta, mas fazem análises diferentes da situação que se quer compreender. Na prática, cada um deles pode ser aproveitado de uma forma para encontrar soluções para os problemas e os desafios.

Como utilizar a tecnologia para desenvolver o raciocínio?

A escola pode utilizar recursos diferentes para desenvolver o raciocínio lógico dos alunos. Os jogos de tabuleiro e de estratégia, como o xadrez e as damas, sempre foram muito utilizados e são realmente eficazes. No entanto, atualmente temos recursos que despertam muito mais o interesse dos alunos.

Como as novas gerações estão inseridas num mundo tecnológico, nada melhor do que utilizar a tecnologia em favor da aprendizagem e da formação das crianças e dos adolescentes. Implementá-la na sala de aula é uma ótima estratégia para estimular o raciocínio dos alunos e trabalhar com temas que, muitas vezes, são rejeitados por eles, como, por exemplo, a matemática.

Através da tecnologia também conseguimos trabalhar o raciocínio lógico matemático dos alunos, minimizando a dificuldade que têm com a matéria e com outros temas de complexidade semelhante. Além disso, os recursos tecnológicos despertam outras competências, promovendo uma formação muito mais completa.

A seguir, apresentamos algumas sugestões de como pode explorar a tecnologia em favor da aprendizagem dos seus alunos. Veja como não é difícil modernizar a didática da sua escola!

Jogos e aplicações Os jogos e as aplicações são comummente associados ao entretenimento, no entanto, existem muitos que são direcionados para a área educacional. Outros são desenvolvidos para criar desafios complexos que exigem raciocínio e estratégia para serem resolvidos.

Em ambos os casos é possível escolher jogos e aplicações que contribuam para a aprendizagem e o desenvolvimento dos alunos. É interessante que eles precisem realmente de pensar para chegar a uma solução, refletir sobre as suas ações, criar uma estratégia sobre o que seria melhor e, assim, progredir no jogo tendo como incentivo os prémios e as recompensas.

Robótica As aulas de robótica são uma excelente alternativa para oferecer uma disciplina diferenciada aos seus alunos, que abordará temas teóricos e práticos. Este campo

envolve diversas áreas de conhecimento, como, por exemplo, a matemática, a física e a engenharia.

Neste tipo de aula, geralmente é apresentado um problema para que os estudantes desenvolvam uma solução. Ou seja, eles tem de criar um projeto para atender satisfatoriamente a uma determinada necessidade. Desta forma, elaboram a estrutura física desse projeto, assim como fazem a programação para que funcione corretamente.

Programação

A programação pode ser utilizada tanto na robótica, conforme explicamos, como para o desenvolvimento de jogos e aplicações. Em todos os casos ela ajuda no desenvolvimento do raciocínio lógico porque o aluno tem de definir o que quer que o seu programa faça e, depois, desenvolvê-lo dessa forma.

A grande vantagem é que atualmente existem diferentes linguagens, inclusive umas para quem está a iniciar e outras que são totalmente direcionadas para as crianças. Desta forma, é possível dar os primeiros passos no mundo da programação aprendendo de uma forma mais intuitiva, e progredir conforme o aluno vá adquirindo os conhecimentos mais complexos na área.

Literacia digital A literacia digital consiste no desenvolvimento de competências e conhecimentos não apenas para utilizar os recursos tecnológicos, mas para explorá-los da melhor forma para cumprir tarefas do dia-a-dia, pesquisar corretamente e aprender mais.

Com as aulas de literacia digital os alunos compreendem como a Internet funciona, de que maneira pode ser utilizada, quais são as suas ferramentas e os seus recursos. Também descobrem como devem utilizar o telemóvel, computador ou tablet da forma correta, tanto para preservar a máquina como para a sua própria privacidade.

É desta forma que eles desenvolvem o sentido crítico, encontram fontes de pesquisa mais confiáveis, podem ter contacto com um universo vasto de informações e assimilam aquilo que é melhor para a sua formação, sabendo reconhecer o que pode ser descartado, como, por exemplo, as fake news.

É importante que o raciocínio lógico seja desenvolvido ainda na infância porque esta competência pode melhorar o desempenho dos alunos, favorecendo a sua aprendizagem, e será fundamental no futuro para o mercado de trabalho. Nada melhor do que utilizar a tecnologia para isso, uma vez que as novas gerações estão muito familiarizadas com estes recursos

0 Comentários

Deixe um comentário